terça-feira, 5 de junho de 2018

Barragem Pedreira-Água não é para Campinas...nem Pedreira



















Confiram na audiencia na Câmara de Campinas(video abaixo, ou link https://www.youtube.com/watch?v=qQTlR0lVgDY&t=1053s  
Minuto 16:44 até 17:18:
..na verdade essa água não é para consumo local...ela será captada em Paulínia , Americana...Nem Campinas , nem Pedreira vão aproveitara diretamente essa água...


E vejam tambem que a água vai para Replan/Brasken
Minuto 1:35 até 2:05


Jonas Donizette, prefeito de Campinas fala que a água vai ajudar Campinas....



E aí???
Vamos ter destruição em Pedreira e em Sousas, a barragem é perigosíssima por estar muito perto da cidade, a Replan não tem outorga, e NÃO vamos receber essa água...


Informações/links
-Outorga Replan venceu em 2012
-Documento da prefeitura de Campinas sobre a barragem de Pedreira:
Pag 52/53
A barragem de Pedreira se encontra a montante de ocupações humanas permanentes e
instalações de infraestrutura importantes à cidade de Pedreira e posteriormente Campinas, quando
o rio Jaguari volta a ser a divisa das cidades. O empreendimento, no entendimento desta SVDS, é
enquadrado na categoria de Dano Potencial Associado Alto conforme classificação dada pela
Resolução nº 143/12 do Conselho Nacional de Recursos Hídricos – CNRH, Anexo II –
Classificação das Barragens de Acumulação de Água. Salvo classificação diferente elaborada e
devidamente fundamentada pelo órgão fiscalizador da segurança
-Blog Individuação-alguns links:

4 comentários:

  1. Grupo quer barrar construção de barragens na região
    Membros de entidades ambientais alertaram para impacto ambiental e social das obras
    23/6/18
    Membros do Congeapa (Conselho Gestor da Área de Proteção Ambiental de Campina), de entidades de defesa ambiental e da sociedade civil fez um ato em Sousas neste sábado (23) pedindo a suspensão da construção de duas barragens, uma no Rio Jaguari e outra no Rio Atibaia. O motivo do protesto é o impacto ambiental e social gerados na APA (Área de Proteção Ambiental) Campinas.
    https://www.acidadeon.com/campinas/cotidiano/cidades/NOT,0,0,1342714,grupo+quer+barrar+construcao+de+barragens+na+regiao.aspx

    ResponderExcluir
  2. Após 4 anos da pior seca, obras de reservatórios na região de Campinas ainda não tiveram início
    https://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/noticia/apos-4-anos-da-pior-seca-reservatorios-de-campinas-e-da-regiao-tem-obras-com-datas-incertas.ghtml

    ResponderExcluir
  3. Sem adutora, sem barragem
    (Correio Popular - Página A2 - 01/07/2018)
    Por Vicente Andreu
    Vejo com preocupação o início da construção da Barragem de Pedreira, cuja maior parte do reservatório inundará áreas frágeis e relevantes da APA de Sousas
    e Joaquim Egídio em Campinas.
    A experiência na administração da crise hídrica de
    2014/2015 me dá a certeza de que permitir a construção dessas barragens inúteis até a implantação “sabe lá Deus quando” do Sistema Adutor só fará aumentar ainda mais a fragilidade de nossa região na utilização das límpidas águas do Sistema Cantareira na ocorrência de novas
    estiagens.

    ResponderExcluir
  4. Represas garantirão segurança hídrica da região de Campinas
    Correio Popular - quinta-feira, 8 de março de 2018
    ________________________________________
    O contrato para a construção de barragens em Pedreira e Amparo, que garantirão a segurança hídrica da região de Campinas, será assinado até amanhã, informou o Departamento de Água e Energia Elétrica (Daee), e a previsão é que as obras tenham início em maio. As represas serão implantadas nos rios Camanducaia e Jaguari e reduzirão a dependência da região do Sistema Cantareira. A previsão é que as obras sejam concluídas em dois anos e meio.
    As duas barragens serão executadas pelo Consórcio BP OAS/Cetenco, formado pelas empresas OAS Engenharia e Construção S.A. e Cetenco Engenharia S.A, que ofereceu o menor preço na licitação internacional que recebeu 18 propostas – R$ 196,09 milhões (US$ 60,5 milhões) para a barragem de Amparo e R$ 230,9 milhões (US$ 71,3 milhões) para Pedreira, no total de R$ 427 milhões (US$ 131,8 milhões).
    As obras serão custeadas por um empréstimo internacional de US$ 204 milhões junto à Corporação Andina de Fomento (CAF), tomado para implantação de um projeto de macrodrenagem em Guarulhos. Parte dessa verba, já autorizada pelo Tesouro Nacional, irá para as represas. De acordo com o projeto, o reservatório de Pedreira ocupará uma área de 2,1 quilômetros quadrados no Rio Jaguari e vai permitir uma vazão regularizada de 9,6 mil litros de água por segundo. O reservatório Duas Pontes, no Rio Camanducaia, deverá ocupar uma área de 4,6 quilômetros quadrados e vai permitir uma vazão regularizada de 9,8 mil litros de água por segundo, segundo o Daee.

    Comitê estrutura PPP para reservatório no Atibaia
    O Comitê Gestor de Parceria Público-Privada da Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento (Sanasa) está trabalhando na estruturação econômica de uma PPP para a construção de um reservatório de água bruta no Rio Atibaia, no distrito de Sousas, para aumentar em 2 metros cúbicos por segundo (m3/s) a oferta de água para a cidade e garantir a segurança hídrica de Campinas por mais 50 anos. O empreendimento tem custo estimado de R$ 350,8 milhões (US$ 108,3 milhões), incluindo o barramento, construção de elevatória, sistema adutor de 12 quilômetros para levar a água às estações de tratamento e desapropriações.
    O barramento dará autonomia de abastecimento à cidade por 70 dias de estiagem severa, como a que ocorreu há três anos. A proposta é que o empreendimento seja construído pela iniciativa privada e a remuneração ocorrerá com a compra da água pela Sanasa. A represa será construída na região conhecida como Três Pontes e terá capacidade para armazenar 17,4 bilhões de litros de volume útil. Quando o barramento estiver concluído, a Sanasa desativará a captação e a estação de tratamento no Rio Capivari, permitindo assim a redução de custos operacionais da empresa, hoje de cerca de R$ 16 milhões (US$ 4,9 milhões) anuais com essa estrutura.
    http://www.agemcamp.sp.gov.br/represas-garantirao-seguranca-hidrica-da-regiao-de-campinas/

    ResponderExcluir