Páginas

sábado, 19 de junho de 2021

HIDS -PIDS região Unicamp/Ciatec










 


HIDS Unicamp/ e agora junto com PIDS prefeitura

Projetos, apresentações,convênios,mudanças nas leis.

Acompanhe, desde 2016.

Anos depois a prefeitura modificou o zoneamento em regiões em volta, tornou urbana a região do Santa Eudóxia pela lei 207/10 e quer implantar o PIDS.

Tudo somado dá mais de 17 milhões de m2....analisem e acompanhem.





Link prefeitura com o material:

https://portal.campinas.sp.gov.br/secretaria/planejamento-e-desenvolvimento-urbano/pagina/pids-polo-de-inovacao-e-desenvolvimento-sustentavel



-Em 9/5/17



Novo Plano Diretor de Campinas duplica Barão Geraldo e avança na zona rural

A partir de uma nova legislação que permite a qualquer propriedade rural ser transformada por seu proprietário em urbana e a criação de mais de 10 grandes novas avenidas de 20 a 30 metros de largura cada avançando desde o Shopping Dom Pedro por trás da Unicamp até o bairro Alto da Cidade Universitária, nas quais será fomentada uma nova centralidade urbana com permissão de construções com o adensamento de 4 m² para 1 m² (permissão de construção de 4 metros em cada 1 metro de terreno), a prefeitura de Campinas de fato presenteia os moradores do distrito de Barão Geraldo com um futuro de especulação imobiliária.

https://cartacampinas.com.br/2017/05/novo-plano-diretor-de-campinas-duplica-barao-geraldo-e-avanca-na-zona-rural/


-Em 15/5/17




As contradições da proposta do Plano Diretor apresentada pela Prefeitura de Campinas

No texto apresentado é criado um novo conceito para a cidade chamado Macrozona de Expansão com Desenvolvimento Ordenado. Essa nova macrozona nada mais é do que o aumento do perímetro urbano da nossa cidade disfarçado e abrange um conjunto de áreas que hoje são rurais.

Atualmente é proibido desenvolver empreendimentos imobiliários e industriais nessas áreas. Elas ficam majoritariamente na região de Souzas, Barão Geraldo, próximo ao Aeroporto de Viracopos, e uma grande área na região sudeste da cidade (Veja as áreas verde claras no mapa). Essas áreas criam um cinturão rural para a cidade de Campinas garantindo um mínimo de preservação de áreas naturais.

A prefeitura não apresentou argumentos técnicos que justifiquem essa ampliação. Ela se limitou somente a dizer que a possibilidade de urbanização dessas áreas daria aos proprietários o direito de lotear e tirar proveito econômico dessa atividade. No entanto não é possível concordar com essa justificativa para fazer a alteração.

https://cartacampinas.com.br/2017/05/x-as-contradicoes-da-proposta-do-plano-diretor-de-campinas-apresentado-pela-prefeitura/


-28/8/19

Mesma apresentação no Comdema em 28/8/19-para comparar

Comdema reunião 28/8/19 (2/4)

https://www.youtube.com/watch?v=P49BAJA4Gfk

 


-11/3/20

Campinas sediará polo para Desenvolvimento Sustentável em BarãoConvênio com o BID cria área modelo de pesquisas para o desenvolvimento sustentável, reunindo governos e empresas11/03/2020 

O objetivo do convênio é criar um distrito modelo de desenvolvimento urbano sustentável e inteligente na forma de um laboratório vivo.

https://novo.campinas.sp.gov.br/noticia/38249 


-HIDS Membros Fundadores do Hub Internacional para o Desenvolvimento Sustentável (HIDS) • Governo do Estado de São Paulo • Prefeitura Municipal de Campinas • Unicamp • PUC-Campinas • Facamp • CNPEM • Embrapa • CPQD • TRB Pharma • Cargill • Cariba Empreendimentos e Participações • Instituto Eldorado • CPFL • Sanasa

https://www.siarq.unicamp.br/images/imagens-artigos/difusao/memoria/Relatrio_de_Gesto_MK_2017-2021.pdf


Localizado no Polo II de Alta Tecnologia de Campinas – CIATEC, entre a Unicamp, Pucc e Facamp, servido por um dos maiores entroncamentos rodo-aero-ferroviários da América Latina, em breve poderá ser acessado diretamente da Rodovia D. Pedro, partindo do Parque D. Pedro Shopping. De acordo com o Plano Diretor da Cidade de Campinas, está prevista nesta região a criação de um Eixo Empresarial e um Eixo Tecnológico, Científico e de Conhecimento, além de áreas de Preservação Ambiental, Suporte Habitacional, Hotéis, Lazer e Entretenimento. Neste local é desenvolvido o programa de incubadora de empresas de base tecnológica, implantação de empresas e organizações de pesquisas científicas e tecnológicas.

http://www.globaltechcampinas.com.br/site/br/parcerias/index.html#parceiros


COMPONENTE AVALIAÇÃO DE SUSTENTABILIDADE-HIDs

http://www.hids.unicamp.br/wp-content/uploads/2021/04/HIDS-BID_Produto-5_Modelo-da-Plataforma-de-Avaliacao.pdf




-16/3/21

Mudança da lei em volta HIDS:

Mudança na lei do Sta Cândida:

CMDU reunião extr. 16/3/21 (1/2)

Pauta Única Esta Reunião está sendo convocada a pedido da Diretora do Departamento de Planejamento, Senhora Carolina Baracat, que nos irá apresentar um Projeto que está sendo discutido e elaborado na Secretaria . A Sra. Diretora ficou de nos encaminhar em tempo hábil o teor completo do Projeto.

Apresentação no CMDU pela Carolina Baccarat

https://www.youtube.com/watch?v=28rn3BOYbI0

Ata dessa reunião:

https://www.campinas.sp.gov.br/arquivos/seplama/cmdu_ata_110_2021.pdf

Documentos:

Seplurb mudança região Sta Candida

https://pt.slideshare.net/resgatecambuiong/seplurb-mudana-regio-sta-cndida

 

Seplurb mapa Sta Candida

https://pt.slideshare.net/resgatecambuiong/seplurb-mapa-de-santa-candida



-Material sobre:

-HIDS site

http://www.hids.depi.unicamp.br/

-PIDS site prefeitura

https://portal.campinas.sp.gov.br/secretaria/planejamento-e-urbanismo/pagina/pids-polo-de-inovacao-e-desenvolvimento-sustentavel

-Fórum 2019

https://www.nepam.unicamp.br/forum-permanente-hub-internacional-para-o-desenvolvimento-sustentavel/

Em 2013, a Unicamp adquiriu a Fazenda Argentina, uma área com 1,4 milhão de m2, contígua ao campus da Universidade, no Distrito de Barão Geraldo, em Campinas. Em sua origem, o HIDS foi imaginado como uma estrutura a ser criada na Fazenda Argentina e integrada de modo harmônico aos campi da Unicamp, combinando e articulando ações, através de parcerias e cooperações entre instituições que possuem competências e interesses voltados a prover contribuições concretas para o desenvolvimento sustentável em sua forma mais abrangente. A proposta de um HUB Internacional para o Desenvolvimento Sustentável (HIDS-http://www.hids.depi.unicamp.br/) é construir uma estrutura que combina e articula ações, através de parcerias e cooperações entre instituições que possuem competências e interesses voltados a prover contribuições concretas para o desenvolvimento sustentável de forma ampla, incluindo as ações que tenham impactos nos eixos social, econômico e ambiental. A ocupação dessa área é uma oportunidade de explorar iniciativas para promover atender e incentivar a Agenda 2030, da ONU, com seus 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, um compromisso assinado por 193 países, incluindo o Brasil.


-Lei Ciatec

Lei do Ciatec-que é esse local-LEI COMPLEMENTAR Nº 22 DE 03 DE JULHO DE 2008

Dispõe sobre a aprovação de diretrizes específicas para a elaboração do projeto de ocupação planejada da área do Parque II do Pólo de Alta Tecnologia de Campinas - CIATEC e dá outras providências.

https://bibliotecajuridica.campinas.sp.gov.br/index/visualizaratualizada/id/87046



-28/5/21

Administração apresenta ao governo federal projeto do Hub Internacional

28/5/21A área de planejamento do Hub envolve os campi da Unicamp (incluindo a Fazenda Argentina, com 1,4 milhão de m2), da PUC-Campinas e da Facamp, e ainda todo o território do Ciatec II – Polo de Alta Tecnologia com 8,8 milhões de metros quadrados, totalizando 11,3 milhões de m2.

https://www.campinas.sp.gov.br/noticias-integra.php?id=40672

 

Hub Internacional para o Desenvolvimento Sustentável-HIDS

A proposta de um Hub Internacional para o Desenvolvimento Sustentável é construir uma estrutura que combina e articula ações, através de parcerias e cooperações entre instituições que possuem competências e interesses voltados a prover contribuições concretas para o desenvolvimento sustentável de forma ampla, incluindo as ações que tenham impactos nos eixos social, econômico e ambiental. Sua visão é contribuir para o processo do desenvolvimento sustentável, agregando esforços nacionais e internacionais para produzir conhecimento, tecnologias inovadoras e educação das futuras gerações, mitigando e superando as fragilidades sociais, econômicas e ambientais da sociedade contemporânea.

Sua visão é contribuir para o processo do desenvolvimento sustentável, agregando esforços nacionais e internacionais para produzir conhecimento, tecnologias inovadoras e educação das futuras gerações, mitigando e superando as fragilidades sociais, econômicas e ambientais da sociedade contemporânea.



-1/6/2021

Reunião CMDU -apresentação HID dia 1/6/21

https://youtu.be/6q4aOqihpaM

Pauta: 1. Apresentação do HIDS – HUB Internacional para o Desenvolvimento Sustentável, pela professora Dra. Gabriela Celani, Coordenadora da Componente Urbanística do HIDS, com contribuições e aportes do prof. Dr. Mariano Laplane, Coordenador Geral do HIDS; Com a participação dos professores: Josué Mastrodi, Coordenador Componente Jurídica; Marcelo Pereira da Cunha, Coordenador Componente de Avaliação de Sustentabilidade; Miguel Juan Bacic, Coordenador Componente Modelo de Negócios; Wesley Rodrigues Silva, Coordenador Componente Ambiental; Patrícia Mariuzzo, Coordenadora Componente Comunicação; Ricardo Pannain, Coordenador do Projeto HIDS na PUC-Campinas; 2. Abertura da palavra aos Conselheiros Titulares e Suplentes, e aos participantes convidados – período para perguntas e respostas; 3. Participação através do canal do YouTube por meio de Chat, com perguntas e observações


-Em 11/3/22

Encontro 'Urbanismo inovador' propõe modelo de desenvolvimento sustentável

    https://portal.campinas.sp.gov.br/noticia/43647





-14/4/22



Zoneamento é alterado para criação do Distrito Inteligente

Os vereadores de Campinas aprovaram nesta quarta-feira (13) a mudança de zoneamento dos bairros Parque Jacarandá, Parque das Universidades e Parque Rural Fazenda Santa Cândida que permitirá a criação do Distrito Inteligente da cidade. A alteração do zoneamento dessa área abre caminho para a instalação de empresas que darão suporte ao futuro distrito. Para entrar em vigor, a lei precisa apenas ser sancionada pelo prefeito Dário Saadi (Republicanos), o que deverá ocorrer uma vez que o próprio Executivo foi o autor do projeto. 

Os três bairros estão localizados ao lado da área de 17 milhões de metros quadrados onde serão implementados o Polo de Inovação e Desenvolvimento Sustentável de Campinas (PIDS) e o HUB Internacional para o Desenvolvimento Sustentável (HIDS) — empreendimentos que integrarão o Distrito Inteligente.
Situado no Distrito de Barão Geraldo, o PIDS abrangerá o Polo de Alta Tecnologia de Campinas, sua área de expansão e os campi da Universidade Estadual de Campinas e da Pontifícia Universidade Católica (PUC-Campinas).

Com o novo zoneamento, a área contígua à do PIDS e do HIDS passa a ter uma mescla de uso industrial, residencial, de serviços de alta tecnologia, serviços gerais e comércio de apoio às empresas e à ocupação residencial. O zoneamento em vigor está provocando uma fuga de empresas para cidades vizinhas. "Sem dúvida, essa adequação é muito importante para a instalação de empresas que darão suporte ao polo de alta tecnologia HIDS", afirmou a secretária.

Ela informou ainda que a alteração do zoneamento também corrigiu um equívoco gráfico no Mapa de Zoneamento de 2018. A área engloba os loteamentos Sítios Alto da Nova Campinas e parte do Sítios Recreio Gramado, que são zonas residenciais, mas apareciam no mapa como Zona Mista 1.

https://correio.rac.com.br/campinasermc/zoneamento-e-alterado-para-criac-o-do-distrito-inteligente-1.681519


-17/10/22

 -Encontro avalia contribuições para o PIDS de visita de estudos à Coreia

Na abertura do encontro desta segunda-feira, realizado no Salão Vermelho do Paço Municipal, a secretária Planejamento e Urbanismo, Carolina Baracat Lazinho, começou lembrando que o BID realizou a contratação do instituto coreano após uma seleção de empresas e entidades com expertise na área de desenvolvimento de projetos inovadores, sustentáveis e de cidades inteligentes. Para ela, visitar locais onde a implantação de conceitos já é realidade, como nas cidades coreanas, reforçou a viabilidade de basear o PIDS  - Polo de Inovação e Desenvolvimento Sustentável de Campinas - em soluções tecnológicas inovadoras. “Foi uma experiência única. Agora, o desafio para todos nós é colocar em prática, no contexto local, essas ideias, e fazer convergir vários interesses para o desenvolvimento do nosso território, no PIDS”, declarou.

https://portal.campinas.sp.gov.br/noticia/46243









-4/11/22

Prefeitura de Campinas debaterá legislação para viabilizar Polo de Inovação






A Prefeitura de Campinas fará na próxima semana, entre os dias 7 e 11, um amplo debate sobre a proposta de legislação para a implantação do Polo de Inovação e Desenvolvimento Sustentável (PIDS), que deve se tornar o novo vetor de desenvolvimento econômico do município. A Administração Municipal pretende fazer mudanças na Lei de Uso e Ocupação de Solo, nº 6.031, para permitir a ocupação mista (residencial, comercial e industrial) associada à preservação ambiental em uma área de 17 milhões de metros quadrados no Distrito de Barão Geraldo. 

A legislação de 1988, que teve sua quarta e última atualização em 2011, permite atualmente apenas a ocupação empresarial.



Um estudo realizado pela Unicamp para a criação do Hub Internacional para o Desenvolvimento Sustentável (HIDS), que ocupa praticamente 66,5% do PIDS, mostra que a área possui uma grande diversidade de aves e mamíferos, como cachorro-do-mato, lontra, sagui, tatu, capivara e onça parda. Somente no campus da Unicamp, há mais de 150 espécies de plantas nativas da Mata Atlântica, além de espécies exóticas. O território tem cinco nascentes, seus respectivos córregos, áreas de proteção permanente (APP) e ainda corredores ecológicos que conectam remanescentes de vegetação da Região Metropolitana de Campinas.

CRONOGRAMA DE REUNIÕES DO PIDS 2022/23 

✔ Dia 7 – Câmara Municipal – 10h Reunião para apresentar proposta aos vereadores

✔ Dia 8 – Coordenadoria de Assistência Técnica Integral CATI) – 14h30 Reunião com Conselho do HIDS e proprietários de áreas da região do PIDS.

✔ Dia 9 – Salão Vermelho – 14h15 Reunião com Conselhos Municipais (CMDU, Condepacc, CPLE, Condema, etc).

✔ Dia 11 – Igreja Santa Izabel, em Barão Geraldo – 14h Reunião aberta à comunidade do Distrito de Barão Geraldo.

✔ De 14/11 a 14/01/23 Minuta com proposta do projeto de lei complementar fica disponível no site e aberta a contribuições por 60 dias.

✔ 24/01 – Salão Vermelho – 14h15 Audiência pública de apresentação da proposta do projeto de lei complementar do PIDS e apresentação das contribuições da sociedade dadas pela consulta pública no site e protocoladas na Seplurb.

https://correio.rac.com.br/campinasermc/prefeitura-de-campinas-debatera-legislac-o-para-viabilizar-polo-de-inovac-o-1.1308625


-7/11/22





Reunião na Câmara abre apresentação da proposta de PLC para o PIDS

“Estamos aqui para uma apresentação do projeto inicial. É uma construção coletiva que estamos propondo, inclusive com esta Casa”, enfatizou a secretária na abertura do encontro. “É um plano inovador como Campinas merece. É o planejamento do futuro, com mudanças no zoneamento, com novo regramento para quando os empreendedores começarem a realizar o parcelamento do solo, a construir no local. O conceito é o desenvolvimento sustentável para estruturar esse novo território”, afirmou.
A proposta é fomentar um ecossistema de troca e convívio de trabalho, moradia e lazer em que os profissionais da área de ciência, tecnologia e pesquisa possam manter uma rede de contatos no próprio ambiente em que vivem. O PIDS cobre uma área de 17 milhões de metros quadrados do Distrito de Barão Geraldo. Abrange o Polo de Alta Tecnologia e sua zona de expansão, os campi da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e da Pontifícia Universidade Católica (PUC-Campinas). A área inclui o HUB Internacional para o Desenvolvimento Sustentável (HIDS) da Unicamp, com seus 11 milhões de metros quadrados compreendendo a Fazenda Argentina.
https://portal.campinas.sp.gov.br/noticia/46485

-9/11/22



Vídeo



-11/11/22

o e ocupação do solo para o Polo de Inovação e Desenvolvimento Sustentável- PIDS

A secretária ressalta que a falta de infraestrutura na região ocorreu porque na época a legislação da cidade permitia a aprovação de empreendimento em gleba.

A secretária destaca ainda o estímulo ao transporte público e a abertura de vias alternativas de acesso à área que abrigará o polo. "Hoje ou você acessa pela estrada ou por Barão. Então o projeto vai garantir uma malha viária que não só não sobrecarregue Barão Geraldo, mas que alivie o trânsito de Barão, fazendo com que Barão consiga transitar com muitos outros meios de transporte que não só o automóvel", disse.

https://correio.rac.com.br/campinasermc/polo-de-inovac-o-desafogara-o-transito-de-bar-o-geraldo-em-campinas-1.1311119



-20/11/22

Parte de Barão rejeita projeto inicial do P.I.D.S. e querem contrapartidas




Na sexta passada, 11 /11, as secretárias de Planejamento e Urbanismo, Carolina Baracat Lazinho e de Desenvolvimento Econômico Adriana Flosi vieram apresentar o projeto inicial de mudança de zoneamento para a grande área que está sendo chamada de PIDS (Polo de Inovação e Desenvolvimento Integrado) que engloba o novo H.I.D.S. da Unicamp e outras empresas. Porém houve várias recusas à mudança de zoneamento, manifestações e críticas ao projeto

Projeto quer mudança de Zoneamento para uso misto

Antes, a secretária Carolina lembrou que a área coberta pela proposta é um dos três Polos Estratégicos de Desenvolvimento do município e explicou que o projeto substituía a proposta do CIATEC2 e engloba a área do HIDS (Hub Internacional de Desenvolvimento Sustentável) – composto pela Puccamp, Unicamp, Telebras, CNPEM, Boldrini, Santander e diversas outras empresas e coordenado por uma comissão composta por Unicamp, Governo do Estado, Prefeitura e várias empresas e com apoio financeiro e profissional do B.I.D. Banco Interamericano de Desenvolvimento.
O projeto também prevê a verticalização até 7 pavimentos que segundo Érica, já é permitido em Barão Geraldo. (ao contrário do Plano Diretor de Barão que só permite edifícios até 4 pavimentos)

Entretanto o projeto prevê também a possibilidade de um “edifício icônico” que seria um edifício sem limite de pavimentos e que seria uma espécie de “cartão postal” mas que fosse de forma harmonica com o todo.


Seguem vários depoimentos-abram o link



-3/1/23

PIDS prevê regras restritivas a novos projetos imobiliários

3/1/23




A Lei de Uso e Ocupação do Solo do futuro Polo de Inovação e Desenvolvimento Sustentável de Campinas (PIDS), na região de Barão Geraldo, terá regras mais restritivas para a instalação de novos empreendimentos imobiliários do que as atuais para a área que será abrangida. A proposta, em discussão, para o zoneamento da nova área prevê prédios de no máximo sete pavimentos, restringe loteamentos fechados e incentiva áreas de interação dos espaços públicos e privados para a convivência dos moradores.

Carolina rebate as críticas de grupos de moradores de Barão Geraldo de que o PIDS atende aos interesses da especulação imobiliária e que não estão previstas obras que garantam infraestrutura para sustentar a qualidade de vida dos atuais e futuros moradores da região. “Esta visão está totalmente distorcida. Nós estamos pegando uma área hoje abrangida pelo Ciatec II, que está abandonado, e dando uma nova destinação com planejamento”, rebate a secretária.

Em meados de dezembro de 2022, o grupo de moradores de Barão Geraldo entrou com uma representação no Ministério Público questionando os impactos do PIDS, o que levou a Prefeitura a adiar a audiência pública, que estava marcada para o dia 24 deste mês, destinada à apresentação da proposta do PIDS e das contribuições enviadas à Seplurb para a definição da legislação para o futuro polo. 

https://correio.rac.com.br/campinasermc/pids-preve-regras-restritivas-a-novos-projetos-imobiliarios-1.1327184



Convênio HIDS

http://www.hids.unicamp.br/wp-content/uploads/2020/03/Of.DEPI-05-2020-Prefeitura-Munic-de-Campinas-Jonas-Conv.BID_.pdf


-Carta convênio BID

https://portal-api.campinas.sp.gov.br/sites/default/files/secretarias/arquivos-avulsos/3627/2023/09/12-155342/20200311_Carta_Convenio_BID.pdf


Site da prefeitura sobre o PIDS
https://portal.campinas.sp.gov.br/secretaria/planejamento-e-desenvolvimento-urbano/pagina/pids-polo-de-inovacao-e-desenvolvimento-sustentavel





-Atualização 14/2/23

TV CartaCampinas entrevista Eleusina Freitas e Wagner Romão sobre mega projetos urbanísticos





O HIDS (Hub Internacional para o Desenvolvimento Sustentável) é um projeto urbanístico que envolve os campi da Unicamp (incluindo a Fazenda Argentina, com 1,4 milhão de metros quadrados, contígua ao campus da Unicamp), da PUC-Campinas, da Facamp e todas as áreas do Ciatec II (Polo de Alta Tecnologia), totalizando 11,3 milhões de metros quadrados, que foi originalmente proposto pela Unicamp.


O PIDS (Polo de Inovação e Desenvolvimento Sustentável) é também um projeto urbanístico que está sendo proposto pela Prefeitura de Campinas que, além de corresponder às mesmas áreas do HIDS, acresce a elas mais 5,7 milhões de metros quadrados, totalizando 17 milhões de metros quadrados, no Distrito de Barão Geraldo, que terão seu uso e ocupação alterados por meio de Lei Complementar. O PIDS é, possivelmente, o maior projeto urbanístico a ser executado na América Latina atualmente.

Diante disso, a população, não somente do Distrito como de todo o Munícipio, quer saber: o que são esses projetos urbanísticos? Como a conservação e a preservação ambiental estão sendo consideradas nesses projetos? Como fica o trânsito no Distrito com o adensamento de moradias? E os equipamentos urbanos e contrapartidas na execução desses projetos? E, o mais fundamental neste momento, como a Prefeitura está respondendo aos questionamentos da população?



-Atualização 17/2/23


TVCartaCampinas recebe Eleusina Freitas (Arquiteta e Urbanista na Demacamp Planejamento) e Wagner Romão (Professor do IFCH-Unicamp) no EntreVistas para dialogar sobre o “HIDS e PIDS – Desenvolvimento Sustentável ou especulação imobiliária?”.

https://www.youtube.com/watch?v=RI4TznKGK60




-Atualização 13/6/23

https://www.youtube.com/watch?v=gdSWkK8_ltE





Segundo encontro de debates do PIDS/HIDS na ADunicamp apresenta três exposições diferentes sobre o projeto

O segundo encontro da série de debates que a ADunicamp tem promovido para discutir o PLC (Projeto de Lei Complementar) apresentado pela Prefeitura de Campinas para implantar o PIDS (Polo de Inovação e Desenvolvimento Sustentável) no Distrito de Barão Geraldo foi realizado nesta terça-feira, 13 de junho.

O objetivo desse segundo encontro foi trazer representantes dos principais atores envolvidos no processo de discussão para a implantação do PIDS: os governos do Estado e do Município, a Unicamp e a comunidade.

Participaram do encontro a secretária municipal de Planejamento Urbano de Campinas, Carolina Baracat; a integrante da Comissão de Acompanhamento criada pela comunidade, Ernestina Gomes; e, como representante da Unicamp, Mariano Laplane. O governo do Estado não respondeu aos repetidos convites feitos pela ADunicamp e não enviou representante.

A presidenta da ADunicamp, professora Silvia Gatti (IB), coordenadora da mesa do encontro, pontuou que a universidade tem “o importante papel de estudar e debater temas de interesse da sociedade” e com a participação da sociedade. “O PIDS é um processo ainda em desenvolvimento, ainda sem conclusões definitivas, daí a importância de ouvirmos e debatermos com todos os atores envolvidos.”

Sílvia relatou que, além de estar inserida na Unicamp e no Distrito de Barão Geraldo, a ADunicamp realiza muitas ações de apoio e solidariedade que investem na qualidade de vida não só da Universidade e de seu entorno, mas também junto a comunidades de diferentes bairros de Campinas. Assim, para a professora, a ADunicamp não pode deixar de participar ativamente da discussão do PIDS que, caso implantado, impactará fortemente a Universidade e todo o seu entorno e sua população.

“Temos uma preocupação com o presente e com o futuro. Com a qualidade de vida, a preservação da memória e do meio ambiente e temos um local, esse espaço que é a nossa sede, que disponibilizamos para que as pessoas tenham seu lugar de fala sobre os mais variados temas de interesse da sociedade”, afirmou Silvia.

EXPOSIÇÕES

A secretaria de Planejamento Urbano, Carolina Baracat, fez uma exposição da proposta do PLC da prefeitura de Campinas para a implantação do PIDS. O PLC propõe, basicamente, mudanças no uso e ocupação do solo em uma ampla área do Distrito, que passará a ser chamada de PIDS.

Pela proposta, a área total do PIDS ocupará uma área de 17,8 milhões de metros quadrados que se expandem por vários bairros e englobam os campi da Unicamp e da PUCC (Pontifícia Universidade Católica de Campinas).

A advogada e professora Ernestina Gomes apresentou um conjunto de questionamentos levantados pela comunidade durante encontros e oficinas que têm sido realizados nos bairros de Barão Geraldo para discutir o PIDS.

Apresentou, inclusive, um primeiro projeto alternativo ao da Prefeitura para o zoneamento da área do PIDS, com base nas discussões e propostas apresentadas pelas comunidades das diferentes regiões de Barão Geraldo.

O professor Mariano Laplane (IE) fez um relato sobre a formação e as expectativas sobre o futuro do HIDS (Hub Internacional de Desenvolvimento Sustentável), do qual ele é atualmente o diretor executivo. O HIDS foi criado pela Unicamp para ser implantado no território da Fazenda Argentina, adquirida pela Universidade há 10 anos, e que está totalmente englobada pela área proposta pela Prefeitura para a criação do PIDS.

O HIDS, segundo a proposta, é um instrumento essencial para o desenvolvimento e consolidação do PIDS.

Ao final das exposições, os/as participantes responderam perguntas de representantes de entidades, docentes e demais pessoas que participaram do encontro.

https://www.adunicamp.org.br/noticias/segundo-encontro-de-debates-do-pids-hids-na-adunicamp-apresenta-tres-exposicoes-diferentes-sobre-o-projeto/





-Atualização 4/7/23

Prefeitura de Campinas insiste em prédios de 7 andares contra a vontade da população de Barão Geraldo





O governo do prefeito de Campinas, Dario Saadi (Republicanos), insiste em liberar a construção de prédios de até 7 andares em um megaprojeto de urbanização no distrito de Barão Geraldo, mesmo com a oposição dos moradores da região. Segundo integrantes do movimento que participam das discussões, a oposição aos prédios no distrito é praticamente uma unanimidade entre pessoas de todos os credos e preferências políticas. Da esquerda à direita estão contra essa liberação.

https://cartacampinas.com.br/2023/07/prefeitura-de-campinas-insiste-em-predios-de-7-andares-contra-a-vontade-da-populacao-de-barao-geraldo/



-Atualização 26/7/23




Relatório COMDEMA PIDS Campinas

https://drive.google.com/file/d/1rWP_xWlMOA5gF44eXmX33XoaMzg-tnas/view



https://jornaldebarao.com/2023/03/05/debate-do-pids-ja-comeca-com-surpresas-e-elege-comissao/




-25/8/23

PIDS: e agora?



Por Professor Wagner Romão* (IFCH/Unicamp)

A comunidade de Barão Geraldo (BG) foi surpreendida na tarde de 11 de novembro de 2022, uma sexta-feira meio chuvosa, com a apresentação do projeto do Polo de Inovação e Desenvolvimento Sustentável (PIDS), feita pela Prefeitura, no Salão Paroquial da Igreja de Santa Isabel.

Talvez “surpreendida” não descreva muito bem a situação: há décadas Barão tem sido assediada pela voracidade do mercado imobiliário que, mesmo tendo vitórias por aqui, também tem sido contido pela força da mobilização comunitária que quer manter BG como um distrito com menos prédios, com mais preservação ambiental e com um convívio mais amigável entre todas as pessoas.

Agora é o momento de a Prefeitura nos dizer como acatará as propostas da comunidade. Ouvimos boatos e reportagens no Correio Popular que dizem que há possibilidade de que a Prefeitura “desista” do PIDS. Essa é uma vitória para nós! Porém, não queremos que tudo continue como está. Principalmente, queremos que a parte do “cogumelo” tenha seu zoneamento modificado. Essa parte do distrito, pela Lei 207/2018, passou de ser zona rural para ter um zoneamento que permite a construção de prédios de até 12 andares! Queremos mudar isso, proteger o Rio Anhumas e propusemos que aquela área possa ter uso residencial mas também com o incentivo à implantação de sistemas agroflorestais e empreendimentos em agroecologia, de modo a realizar a transição urbano-rural de forma mais harmônica.

https://www.adunicamp.org.br/opiniao/pids-e-agora/






-Divulgação prefeitura 22/8/23




-Atualização 23/8/23









-Atualização 24/8/23

Chegada do Laboratório Orion dará nova dimensão ao PIDS





O primeiro laboratório de máxima contenção biológica (NB4) da América Latina e o único do mundo conectado a um complexo científico de fonte de luz síncrotron será construído em Campinas. Trata-se do Laboratório Orion, um projeto de R$ 1 bilhão previsto para entrar em operação em 2026. A nova estrutura científica colocará em outra dimensão o projeto do Polo de Inovação para o Desenvolvimento Sustentável (PIDS) a ser instalado no distrito de Barão Geraldo para atrair investimentos privados em tecnologia de ponta em diversas áreas, entre elas médica, farmacêutica e de comunicação, entre outras.

A unidade de biossegurança nível 4 será instalada ao lado Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS), que dobrará de tamanho.Além do novo laboratório, o CNPEM receberá investimento de R$ 800 milhões nos próximos quatro anos para a segunda fase do Projeto Sirius. Ela inclui o projeto e a construção de dez novas estações de pesquisa, que em conjunto com as linhas de luz do Orion, dobrarão o tamanho do laboratório. O Sirius é o maior e mais avançado projeto da ciência brasileira e está entre as três únicas fontes de luz síncrotron de última geração em operação no mundo.A última audiência pública com os moradores de Barão Geraldo sobre o projeto de lei para um novo zoneamento do polo será realizada no próximo sábado, a partir das 14h30, no auditório do Centro de Convenções da Unicamp.

https://correio.rac.com.br/campinasermc/chegada-do-laboratorio-orion-dara-nova-dimens-o-ao-pids-1.1411439 




OBS-





-Atualização 25/8/23


https://www.youtube.com/watch?v=6bX0s_iRF7o






-Atualização 26/8/23



 https://www.youtube.com/watch?v=1Wo7eN1ugvI


Assistam os vídeos...Barão se manifesta contra...



Anexo II - Devolutiva comentada pela Comunidade - para o MP rev mmf 24072023

https://drive.google.com/file/d/1FvaHWwdL9Pz5mCb7-CEaAougTbr_TJZn/view

Microsoft Word - Carta da populacao na audiencia do PIDS 26 ago.docx

https://drive.google.com/file/d/1Ewtjpprnv4m_OPs-VXQN77ERgLnSjc-n/view



Material sobre assuntos dessa audiência em 26/8/23








População compareceu em peso...contrários à implantação pois os problemas que hoje são enormes e nunca foram resolvidos, se agravarão. Problemas como mobilidade, saúde, educação, meio ambiente, etc...confira no vídeo. Documentos entregues hoje à secretaria Carolina: Anexo II - Devolutiva comentada pela Comunidade - para o MP rev mmf 24072023 https://drive.google.com/file/d/1FvaHWwdL9Pz5mCb7-CEaAougTbr_TJZn/view Microsoft Word - Carta da populacao na audiencia do PIDS 26 ago.docx https://drive.google.com/file/d/1Ewtjpprnv4m_OPs-VXQN77ERgLnSjc-n/view Notas sobre o processo participativo da população de Barão Geraldo na discussão do PIDS http://climacom.mudancasclimaticas.net.br/discussao-do-pids/ Veja matérias de maio 2017... Novo Plano Diretor de Campinas duplica Barão Geraldo e avança na zona rural https://cartacampinas.com.br/2017/05/novo-plano-diretor-de-campinas-duplica-barao-geraldo-e-avanca-na-zona-rural/ As contradições da proposta do Plano Diretor apresentada pela Prefeitura de Campinas No último dia 28 de abril a Prefeitura de Campinas publicou a sua proposta de revisão para o Plano Diretor Estratégico que norteará o desenvolvimento da cidade pelos próximos 10 anos. Atualmente é proibido desenvolver empreendimentos imobiliários e industriais nessas áreas. Elas ficam majoritariamente na região de Souzas, Barão Geraldo, próximo ao Aeroporto de Viracopos, e uma grande área na região sudeste da cidade (Veja as áreas verde claras no mapa). Essas áreas criam um cinturão rural para a cidade de Campinas garantindo um mínimo de preservação de áreas naturais. A prefeitura não apresentou argumentos técnicos que justifiquem essa ampliação. Ela se limitou somente a dizer que a possibilidade de urbanização dessas áreas daria aos proprietários o direito de lotear e tirar proveito econômico dessa atividade. No entanto não é possível concordar com essa justificativa para fazer a alteração. https://cartacampinas.com.br/2017/05/x-as-contradicoes-da-proposta-do-plano-diretor-de-campinas-apresentado-pela-prefeitura/ Nota prefeitura sobre essa audiência: Para a secretária de Urbanismo, Carolina Baracat, a audiência pública deste sábado mostra o trabalho integrado realizado pela Prefeitura. “A presença de secretários de outras pastas neste debate mostra o sincronismo com o qual estamos trabalhando para elaborar um projeto de lei com conteúdos técnicos, buscando um urbanismo inovador com responsabilidade e transparência”, destacou. https://portal.campinas.sp.gov.br/noticia/49731 -Material sobre alguns comentários feitos nessa reunião: 3-Santander: TAC Santander link https://drive.google.com/file/d/1U1VMtDjrdOnGs0hi1ucvIunFQg9cueTG/view TACs (termos de acordo e compromisso)-vários em Campinas https://gtac.campinas.sp.gov.br/publico Ciatec na Camara 3 https://www.youtube.com/watch?v=udOBJ7saAmo&t=241s 1-Fazenda Argentina: Trecho ata compra fazenda argentina Os proprietários estão presos a um parecer do Ministério Público, pode ser até que consigam derrubar esse parecer, mas por essa razão o Itaú desistiu da compra. Claramente isso coincidiu com toda a crise da Prefeitura de Campinas, ou seja, tirou qualquer credibilidade da Prefeitura naquele período. E vai citar uma questão. É membro do conselho do Cnpem, e houve uma negociação para poder fazer o novo Laboratório Nacional de Luz Síncrotron. .....completo. http://www.hids.unicamp.br/wp-content/uploads/2023/04/3a-Extra-Completa-finalizada-1.pdf 2-Escola Sabis -Parecer Gape/Alphaland (escola Sabis) pelo COMDEMA 1) Protocolo 2017000142 de interesse de ALPHALAND REAL ESTATE ADMINISTRAÇÃO DE BENS LTDA DOM pag 22 : https://www.campinas.sp.gov.br/uploads/pdf/543270211.pdf -Gape parecer José Ricardo F. Nassif (escola Sabis) GRUPO DE ANÁLISE DE PROJETOS ESPECÍFICOS - GAPE Parecer Final Interessado: JOSÉ RICARDO FARAH NASSIF EMPREENDIMENTO , situado à Avenida Giuseppina Vianelli Di Napoli (Antiga Rua Sem Denominação), nº. 555, Gleba 031-SUB, Quarteirão 30007, na cidade de Campinas, Estado de São Paulo DOM pag 2 : https://portal-api.campinas.sp.gov.br//sites/default/files/publicacoes-dom/dom/1055335740.pdf 3-Santander: TAC Santander link https://drive.google.com/file/d/1U1VMtDjrdOnGs0hi1ucvIunFQg9cueTG/view TACs (termos de acordo e compromisso)-vários em Campinas https://gtac.campinas.sp.gov.br/publico Ciatec na Camara 3 https://www.youtube.com/watch?v=udOBJ7saAmo&t=241s Construtora do dono da EMS teria dívida de 25 milhões com amigão de Dirceu https://oantagonista.com.br/brasil/construtora-dono-da-ems-teria-divida-de-25-milhoes-com-amigao-de-dirceu-2/





-Atualização 28/8/23






Prefeitura usa projeto da Unicamp para fazer especulação imobiliária em Barão Geraldo, diz Wagner Romão



Na audiência pública sobre o PIDS, um megaprojeto de urbanização da área de Barão Geraldo, no entorno da Unicamp, em Campinas (SP), realizada no sábado 26 de agosto, o professor Wagner Romão afirmou que o HIDS (Hub Internacional para o Desenvolvimento Sustentável) da Unicamp foi cooptado pelo projeto da Prefeitura, denominado de PIDS (Polo de Inovação e Desenvolvimento Sustentável).

Ele deixou claro que não existe qualquer relação entre o PIDS e o HIDS. Fica claro na fala de Romão que a Prefeitura de Campinas usou nomes parecidos para passar um grande projeto expansão imobiliária na cidade. Romão lembrou que os principais financiadores do atual prefeito de Campinas, Dário Saadi (Republicanos) são do ramo imobiliário e que existem em Campinas 54 mil imóveis residenciais vazios. “Não há nenhuma justificativa plausível para que o projeto de desenvolvimento tecnológico da Unicamp e do Brasil esteja a serviço da especulação imobiliária”, afirmou Romão. Veja vídeo:

https://www.instagram.com/reel/CwcYCf0BDDs/?igshid=NzZhOTFlYzFmZQ%3D%3D


Matéria Carta Campinas:
https://cartacampinas.com.br/2023/08/prefeitura-usa-projeto-da-unicamp-para-fazer-especulacao-imobiliaria-em-barao-geraldo-diz-wagner-romao/?fbclid=IwAR2QeeZICPVfskd4Oyr1HFFtraVOVBat4zWUgECedUBCh7k8P_Jz-6D4IGM

-Atualização 28/8/23


Audiência Pública do PIDS reúne mais de 250 pessoas no Centro de Convenções da UnicampEncontro debateu com a comunidade nova minuta do Projeto de Lei Complementar do PIDS



De acordo com o secretário de Planejamento e Desenvolvimento Urbano, Marcelo Coluccini, a audiência pública, como um processo participativo, foi muito produtiva. “Contamos com mais de 250 pessoas, que tiveram oportunidade de falar quais eram as suas ideias e suas reivindicações. Agora, vamos internalizar todas essas contribuições, vamos fazer uma análise técnica para fechar o projeto de lei e enviar à Câmara dos Vereadores”, explicou.
https://portal.campinas.sp.gov.br/noticia/49731



-Atualização 29/8/23 

Devolutivas



-Atualização 2/9/23

Projeto do PIDS será enviado à Câmara de Campinas neste mês

Período de discussões contou com incorporação de sugestões da população, mas há 

preocupação que adaptações possam inviabilizar o plano




Período de discussões contou com incorporação de sugestões da população, mas há preocupação que adaptações possam inviabilizar o plano

A Prefeitura enviará nos próximos dez dias para a Câmara Municipal o projeto de lei para um novo zoneamento do Polo de Inovação para o Desenvolvimento Sustentável (PIDS), após encerrar a realização das audiências públicas para discussão e apresentação de sugestões da população. A proposta permite uma ocupação mista residencial, comercial e industrial no segmento de alta tecnologia de uma área de cerca de 17,8 milhões de metros quadrados, e que abrange o Ciatec II, no distrito de Barão Geraldo, para atrair investimento de alta tecnologia e preservação do meio ambiente na Região Norte de Campinas.


Um dos membros da comissão de moradores do distrito, o cientista político e professor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Wagner Romão, disse que, entre as propostas apresentadas à Prefeitura, as cinco principais são: estabelecer uma zona de proteção ambiental mais rígida do que o parque, reduzir o adensamento populacional através de criação de áreas onde o limite para as construções seja de 2 ou 4 andares, criação de uma área de transição urbano/rural, criação de área de habitação popular para famílias de baixa renda e garantia da preservação do patrimônio históricocultural existente na região.

Como as sugestões não foram incorporadas ao projeto de lei da Prefeitura, o próximo passo é tentar implementá-las como emendas durante a tramitação na Câmara. 

https://correio.rac.com.br/campinasermc/projeto-do-pids-sera-enviado-a-camara-de-campinas-neste-mes-1.1415288



-Atualização 3/9/23
Material desenvolvido pelos moradores de Barão Geraldo


2023_02_09 Informações Ambientais BG

https://drive.google.com/file/d/1s2BlLKiKMPfAZ2O3gcQP0eQElo5ZvHPH/view

 Pag 6-nascentes



2023_08_26 Anexo II - Devolutiva comentada pela Comunidade[1]

https://drive.google.com/file/d/1LzUruWGOQHQHp61qBlZ7PbLOEL2mODDP/view

 

2023_03_01 Planilha Sintese Areas PÌDS

https://drive.google.com/file/d/1xZso-nHRMfu0cRFt_O04pLm3-LA1jhEt/view

 

-Atualização 6/9/23

Dário confirma envio da lei do PIDS à Câmara de Campinas neste mês



O prefeito de Campinas, Dario Saadi (Republicanos), anunciou que o projeto de lei complementar que permitirá a implantação do Polo de Inovação e Desenvolvimento Sustentável (PIDS) em uma área do distrito de Barão Geraldo, em Campinas, será encaminhado ainda este mês à Câmara de Vereadores. Essa declaração foi dada na noite de quinta-feira (5) pelo prefeito, durante um encontro de lideranças que discutiram as oportunidades de investimento na cidade. O projeto prevê a regulação do uso do solo para a instalação do Hub Internacional para o Desenvolvimento Sustentável (HIDS), que atualmente conta com parcerias da Prefeitura de Campinas, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas) e outras 11 instituições.

O setor empresarial aguarda com expectativa essa legislação, considerando o polo de inovação e tecnologia como um modelo de sustentabilidade a ser seguido. Além disso, acredita-se que ela permitirá uma projeção global das empresas envolvidas. O Coordenador do HIDS, Mariano Laplane, enfatizou o papel fundamental que as parcerias privadas desempenharão no HIDS. Ele destaca que as entidades do setor privado serão protagonistas na descentralização do conhecimento científico gerado no polo. "As entidades do setor privado são as que têm um papel protagônico em fazer com que o conhecimento gerado em instituições de pesquisa se transformem em produtos e que, através de negócios, cheguem às pessoas", frisou.

https://correio.rac.com.br/campinasermc/dario-confirma-envio-da-lei-do-pids-a-camara-de-campinas-neste-mes-1.1428621



-Atualização 21/10/23



Reuniões dia 21/10/23 o dia todo na câmara de Campinas.
Muito esclarecedoras e importantes.



Vídeos do evento:






Apresentação Eleusina-trecho



Apresentação Ari-trecho








 -Atualização 18/12/23

Campinas envia à Câmara projeto para alterar lei de uso do solo em polo de inovação em Barão Geraldo






Entre as propostas do texto está o uso misto da região, com atividades econômicas e residências em área de 17 milhões de metros quadrados; projeto ainda terá de ser analisado e debatido na Casa Legislativa.


A Prefeitura de Campinas (SP) enviou à Câmara Municipal um Projeto de Lei Complementar (PLC) para alterar a Lei de Parcelamento, Uso e Ocupação do Solo com novas regras de zoneamento para a região do Polo de Inovação para o Desenvolvimento Sustentável (PIDS), no distrito de Barão Geraldo. Veja os principais pontos abaixo.

A assinatura do projeto foi realizada nesta segunda (18), e representa mais um passo do tema que começou a ser discutido em novembro de 2022, com a realização de oficinas e audiência pública. Entre as mudanças previstas, está a permissão de atividades econômicas ao lado de residências.



https://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/noticia/2023/12/18/campinas-envia-a-camara-projeto-para-alterar-lei-de-uso-do-solo-em-polo-de-inovacao-em-barao-geraldo.ghtml



 -Atualização 19/12/23

Prefeito entrega à Câmara proposta do PIDS com reitores da Unicamp e Pucc





O prefeito Dário Saadi chamou os reitores da Unicamp e da Puccamp nesta segunda 18/12 para entregarem juntos para a Câmara o Projeto de Lei Complementar (PLC) para a alteração da Lei de Parcelamento, Uso e Ocupação do Solo (LPUOS) com as novas regras de zoneamento para a região do PIDS (o Polo de Inovação para o Desenvolvimento Sustentável de Campinas que fica em Barão. Após 12 Oficinas exigidas por uma parte da população e mais de 1.130 sugestões, a Secretaria pouco mudou a proposta: Na área entre a Estancia Eudóxia – até o Bosque das Palmeiras a proposta final reduziu o máximo de andares de 12 para o máximo de 4 pavimentos, mas deixou a proposta original de um máximo de 7 pavimentos para os edifícios que ficarão na Avenida Central (que cortará a área central das fazendas do H.I.D.S. e irá até o CNPEM, e atravessará a área de sitios e o rio Anhumas até o Bosque das Palmeiras , em frente à rua Weimar Morandi). Um detalhe importante é que essa avenida será toda bancada e construída pelos investidores na área. Sendo a Unicamp e Puccamp os principais.

O PLC foi formatado pela Prefeitura após extenso processo de participação da comunidade, de mais de um ano, com reuniões e oficinas para apresentar e discutir a proposta. Por exigência de vários moradores ambientalistas , ele teve que ser debatido com a apresentação da minuta a diversos setores da sociedade, desde novembro de 2022. Após todas as 12 apresentações (com poucas pessoas) toda a proposta foi apresentada em Audiência Pública na Unicamp, em agosto passado, e prossegue, agora, com o envio para análise e decisão da Câmara.

Segundo o novo Secretário de Planejamento e Desenvolvimento Urbano, Marcelo Coluccini , essa pequena verticalização nessa área central do HIDS / PIDS é necessária para favorecer a ocupação mista da região, com a combinação de moradias, comércios, serviços e espaços de lazer, como queriam os principais criadores do HIDS. “A nova legislação vai ser um marco para Campinas e tornará a região mais atrativa para novos investimentos”, destacou Coluccini.

A ocupação prioritária no PIDS prevê construções com fachadas ativas, que promovem a interação com os espaços o público, e usos mistos, unindo moradia, trabalho, comércio e lazer, com ênfase na preservação do meio ambiente. A prioridade é para pedestres, ciclistas e o transporte público, com uma estrutura que limita o tamanho de quadras com mais transposições em menores trechos para os pedestres.

O projeto também cria o Parque Ambiental Anhumas ao longo do Ribeirão Anhumas, que percorre quase toda a região e em alguns trechos será espaço de lazer e em outros de preservação e pesquisa. Para a secretária de Urbanismo, Carolina Baracat Lazinho, é uma proposta “ousada”. “Campinas tem o privilégio de ter com o PIDS um urbanismo de ponta, com planejamento e parâmetros urbanísticos voltados para a qualidade de vida”, afirmou.

Os secretários municipais de Desenvolvimento Econômico, Tecnologia e Inovação, Adriana Flosi; de Finanças, Aurílio Caiado, e de Justiça, Peter Panutto, também prestigiaram a assinatura do projeto de lei. Flosi frisou que a construção de um ecossistema de inovação para o território do PIDS teve em seu processo a participação de universidades, centros de pesquisa e empresas de tecnologia, fundamental para o resultado positivo.

É um momento histórico e muito importante, que nasceu como um desafio, e o resultado é fruto de uma construção democrática”, declarou o prefeito, lembrando a colaboração da população, das universidades e institutos de pesquisa no desenvolvimento da proposta.

A secretária Adriana, o reitor Antonio Meirelles, o prefeito, o reitor da Pucc, Prof. Germano e o presidente da Câmara Luis Carlos Rossini – foto de Rogerio Capella

Campinas para o futuro

Os reitores da Unicamp, Antônio José de Almeida Meirelles, e o da PUC-Camp, Germano Rigacci Júnior, participaram da cerimônia de assinatura do PLC. Para eles, a medida é fundamental para a construção de uma cidade para o futuro. 

A legislação dá segurança jurídica para ordenação do território e referências urbanísticas para a construção de um ecossistema centrado no conhecimento, que recupera a identidade de Campinas como referência nacional em inovação. É o renascimento da cidade como geradora de inovação”, afirmou o reitor da PUC-Campinas.

Para o reitor da Unicamp, o Polo de Inovação cria um caminho novo e positivo para Campinas, a região, o estado e o país. “Muito mais do que um projeto de urbanismo, o PIDS coloca a cidade toda em uma perspectiva inovadora, com foco na ciência, geração de conhecimento, desenvolvimento tecnológico e inovação”, disse Meirelles, lembrando que, além da viabilidade econômica, o projeto irá preservar o meio ambiente e privilegiar a inclusão da população, com mais qualidade de vida.

O diretor-geral do CNPEN (Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais ), Antonio José Roque da Silva, e o presidente da Fundação Fórum Campinas Inovadora, Eduardo Gurgel do Amaral, que reúne 22 Instituições do setor acadêmico, governamental e empresarial, também participaram da cerimônia, ao lado de representantes de várias entidades.

O presidente da Câmara Municipal, Luiz Carlos Rossini, adiantou que o Legislativo encaminhará o projeto com o cuidado que merece e respeitando os ritos de análise dos vereadores e de discussão com a população, em nova Audiência Pública, antes da votação. “O projeto do Polo de Inovação para o Desenvolvimento Sustentável inaugura um novo ciclo de desenvolvimento para Campinas”, afirmou. Para ele, o PIDS deve marcar a história dos 250 anos da cidade. O vereador Higor Diego também prestigiou o evento.

(NINGUÉM – E CLARO – LEMBROU DOS 70 ANOS DE BARÃO , CADA VEZ MAIS EM DESAPARECIMENTO)

Exercício democrático

O processo de participação da comunidade na discussão do novo zoneamento para a área do PIDS começou em novembro de 2022, quando houve reuniões com os vereadores na Câmara Municipal; com membros do conselho do HUB Internacional para o Desenvolvimento Sustentável (HIDS), que reúne várias entidades, e os proprietários de áreas na região que engloba o polo, no auditório da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati); com os conselhos municipais (CMDU, Condepacc, CPLE, Condema), em reunião no Salão Vermelho do paço; e um primeiro encontro geral com os moradores do Distrito de Barão Geraldo, no Salão da Igreja Santa Izabel.

A proposta inicial (minuta do PLC) sobre a mudança do zoneamento do PIDS também ficou aberta para consulta pública para receber contribuições da sociedade de novembro de 2022 a janeiro de 2023, inicialmente, pelo site da Prefeitura. Prazo que foi ampliado posteriormente.

Foram realizadas três reuniões gerais com comunidade, criação de comissão de moradores, 12 oficinas regionais (seis em março e seis em maio) e Audiência Pública (em agosto) sobre a minuta do projeto. Todo esse processo de discussão com a comunidade e ampla participação popular resultou no PLC encaminhado agora para a Câmara, onde passará por nova discussão, audiência pública e mudanças apresentadas pelos vereadores antes de ir ao plenário para votação.

Nota Editorial.

Essa é a SEGUNDA VEZ que a Unicamp se expande em Barão Geraldo . A primeira foi quando da compra (por desapropriação) das partes da Fazenda Santa Genebra para construção do Hospital de Clinicas, Faculdade de Medicina e outras instituições integradas (anos 1970) e também das áreas superiores do Instituto de Economia , SVC, Engenharia Civil e CCUEC (anos 1970) que não estavam na área original “comprada” por CR$ 1,00 de Almeida Prado em 1966. E a única coisa que fez foi trazer a inflação imobiliária (vendida única e exclusivamente com a promessa de viverem em áreas de preservação ecológica, sem urbanização, com pouquissima ocupação e longe das cidades grandes.) E desprezando completamente a História e a luta dos antigos moradores de Barão Geraldo pelo “progresso” local. (que participaram inclusive da luta pela Unicamp).

Nessa SEGUNDA EXPANSÃO – ampliando-se politicamente para além da Fazenda Argentina com o H.I.D.S.- a Unicamp ampliou também o desprezo por Barão Geraldo. Em NENHUM MOMENTO integrou as áreas Históricas de Barão ao HIDS (o sobrado construído em 1870 e a mata Santa Genebrinha que FAZEM PARTE DO MESMO ECOSISTEMA E PRECISAM SER PRESERVADAS). Também nem pensou numa forma de preservar a Fazenda Rio das Pedras para possibilitar a construção de Corredores Ecológicos entre a Mata S. Genebra (que absurdamente tambem ficou de fora do HIDS) e a A.P.A. Campinas e também ao longo do rio Anhumas até a Mata do QUilombo também tombada e integrar também a Rhodia nesse Polo. No passado antes da Unicamp, todo esse território fazia parte de Barão Geraldo, devido à centralidade da ferrovia que criou a região norte da Região Metropolitana de Campinas. por isso a necessidade URGENTE da preservação da nossa ESTAÇÂO que vai fazer 100 anos em 2026, mas fica “fora do HIDS e do PIDS” ! Enfim É MUITO TRISTE e infeliz que Unicamp, Puccamp e Prefeitura esqueçam da luta tanto de moradores antigos pelo “progresso” (através da luta pela criação do Distrito e depois de Município) , Mas TAMBÉM da luta dos moradores que vieram para Barão POR CAUSA DA UNICAMP , em busca de qualidade de vida e preservação ambiental que lhes foram vendidas! E que também trouxeram um NOVO entendimento e conceito de “progresso”, “qualidade de vida” e a urgência da sustentabilidade e preservação dos espaços das diferentes faunas que aqui viviam e provavelmente também irão desaparecer. (E nem temos mais a taxidermia de Max Wünsche.) Com tanta gente mais, É URGENTE a criação de mais Parques, Mais Unidades de Saude 24h, mais escolas todas públicas, obviamente, e um bom planejamento futurista disso tudo.

QUem sabe , no futuro, quando não estivermos mais aqui, Inteligências Artificiais reconstruam toda essa fauna de forma biotrônica – imitando fisicamente o que resta dos espécimes naturais de hoje, porém controlados em sua atividades por essa I.A. E também gigantescos painéis de ultra densidade virtual das matas, caminhos e vida campestre e silvestre que aqui ja existiu no tempo dos antigos baronenses. Talvez num novo Supercomputador da Unicamp… lá pra 2116 em seus 150 anos….

https://jornaldebarao.com.br/2023/12/19/prefeito-entrega-a-camara-proposta-do-pids-com-reitores-da-unicamp-e-pucc/



-Atualização 20/12/23

Projeto de novo zoneamento em Barão Geraldo ainda causa descontentamento




A proposta de mudança no zoneamento para a criação do Polo de Inovação e Desenvolvimento Sustentável de Campinas, o PIDS, continua causando descontentamento entre os moradores de Barão Geraldo.

Nesta segunda-feira (18) a Prefeitura anunciou que encaminhou a Câmara o texto final da propositura para alteração da Lei de Parcelamento, Uso e Ocupação do solo.

Desde o início do ano moradores de Barão tem feito reuniões e audiências para marcar posição contrária a alterações que possam, segundo eles, descaracterizar a região. Parte da comunidade do bairro teme que o bioma e a infraestrutura sejam comprometidos, como explica o professor de Ciência Política da Unicamp, Wagner Romão.

A advogada e professora aposentada Ernestina Gomes de Oliveira afirma que os moradores mobilizados não tiveram acesso ao texto final que foi encaminhado ao Legislativo.

Ela diz ainda que Barão Geraldo serve como proteção à poluição emitida pelo Polo Petroquímico de Paulínia e que deveria ter a natureza preservada.

O PIDS abrange o Polo de Alta Tecnologia e a zona de expansão, o que inclui o HIDS, além da Unicamp, PUC, CNPEM e outras áreas de entidades e particulares.

A prefeitura de Campinas afirma que a mudança visa melhorar as condições de urbanização da área de 17 milhões de metros quadrados no distrito de Barão Geraldo.

Com a alteração da permissão de parte do distrito para zona mista passariam a ser permitidas atividades econômicas comerciais ao lado de residências.

A implantação está prevista para ser realizada ao longo das três décadas e o objetivo é atrair empresas de tecnologia da informação e desenvolvimento e pesquisa para Campinas.

O Executivo afirmou também que realizou 12 oficinas com a população que contaram com a participação de cerca de 500 pessoas e onde foram recebidas 1.130 sugestões de alterações.

https://portalcbncampinas.com.br/2023/12/projeto-de-novo-zoneamento-em-barao-geraldo-ainda-causa-descontentamento/


-Atualização 20/12/23

Secretário afirma que PIDS pode gerar melhorias ambientais para Barão Geraldo





Apesar da rejeição e preocupação com questões estruturais e ambientais de parte dos moradores de Barão Geraldo quanto às novas regras de zoneamento para a região do Polo de Inovação para o Desenvolvimento Sustentável de Campinas (PIDS), o secretário municipal de Planejamento e Desenvolvimento Urbano, Marcelo Coluccini, afirmou em entrevista à CBN Campinas que as mudanças na região poderão até ter efeitos positivos para o meio-ambiente. “Todo o projeto teve um cuidado muito grande com a questão ambiental. Tem a criação do parque em Anhumas, que é um parque que vai cruzar toda a área do PIDS, fazendo toda conexão entre as matas existentes e os novos parques, e o novo parque que vai ser criado, tendo essa integração entre o desenvolvimento e o meio-ambiente. Então, todo esse cuidado foi tomado na colaboração desse projeto para a área do PIDS”.

https://portalcbncampinas.com.br/2023/12/secretario-afirma-que-pids-pode-gerar-melhorias-ambientais-para-barao-geraldo/




-Atualização 20/12/23

Grupo de Barão Geraldo discorda de posições da Prefeitura sobre o PIDS



O movimento Mobiliza Barão, formado por moradores e pessoas relacionadas ao distrito de Barão Geraldo, contesta alguns dos pontos de vista do Secretário de Planejamento e Desenvolvimento Urbano de Campinas, Marcelo Coluccini, sobre as novas regras de zoneamento para a região do Polo de Inovação para o Desenvolvimento Sustentável de Campinas (PIDS).





Eleonore Setz é professora da Unicamp, doutora em ecologia, especialista em fauna silvestre. Ela afirma que o desenvolvimento proposto para Barão Geraldo pelo PIDS não se configura, de fato, uma proposta de desenvolvimento, pois não melhora a qualidade de vida dos moradores. Uma das falas do secretário que ela contesta é a relacionada ao Parque Anhumas, que segundo o secretário irá cruzar toda a área do PIDS. “Toda a área pressuposta para o parque é área atualmente particular, e o que eles indicaram é que cada cada proprietário, a medida que fosse urbanizar, ele então teria que entregar a prefeitura uma uma porção ligada ao parque, seria dependente da vontade dos proprietários em ceder essa parte.”

Ou seja, o parque só sairia da forma citada pelo secretário caso haja concordância dos proprietários de áreas. Porém, a exigência de contrapartidas para autorização de construções constituem um dos pontos citados pelo secretário para que o projeto seja bem sucedido.

Eleonore Setz aponta também outros problemas que a maior urbanização do distrito pode gerar. “Maior impermeabilização da região, favorece as enchentes, isso sem falar no trânsito e as questões de segurança. Nós estamos cercados por rodovias, porque as rodovias ficam entupidas nos diferentes horários de entrada e saída. Isso já está desse jeito, quer dizer, com mais 60 mil habitantes vai ficar simplesmente impossível”.

Em relação à fala do secretário que afirma que a urbanização pode ser até melhor do ponto de vista ambiental para o distrito se comparada com áreas rurais abandonadas, a professora discorda, e afirma que na área da Fazenda Argentina, por exemplo, são encontradas durante pesquisas passgens de animais como onças-pardas, gatos do mato, jaguatiricas, presas como tatus, entre outros. Ou seja, há fauna ocupando áreas que rurais que possam estar sendo consideradas abandonadas.


https://portalcbncampinas.com.br/2023/12/grupo-de-barao-geraldo-discorda-de-posicoes-da-prefeitura-sobre-o-pids/


-Atualização 12/1/24

Projeto de Lei que modifica o zoneamento da área do Polo de Inovação para o Desenvolvimento Sustentável (PIDS) de Campinas, na região do distrito de Barão Geraldo.

https://sapl.campinas.sp.leg.br/media/sapl/public/materialegislativa/2024/417756/plc_3-24.pdf

Documentação Câmara:

PLC 3/2024 - Projeto de Lei Complementar Etiqueta Individual
Ementa: 
DISPÕE SOBRE O PARCELAMENTO, USO E OCUPAÇÃO DO SOLO DO POLO DE INOVAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL - PIDS.

Apresentação: 5 de Fevereiro de 2024
Processo: 240185 / 2024
Autor:  Prefeito Municipal - Executivo
Documentos Acessórios: 1
https://sapl.campinas.sp.leg.br/media/sapl/public/materialegislativa/2024/417756/plc_3-24.pdf

Anexo - ANEXOS I A XI de 09/01/2024 por Prefeito Municipal

https://sapl.campinas.sp.leg.br/media/sapl/public/documentoacessorio/2024/54442/anexos_i_a_xi_-_plc_3-24.pdf



Anexo Vll- Mapa das Areas de Interesse Ambiental do PIDS

Anexo Vll- Mapa das Areas de Interesse Ambiental do PIDS



Anexo 1 - Mapa do Perfmetro do PIDS 






-Atualização 2/2/24
Esse PLC não cumpriu o art.174 da Lei orgânica do Município
Não tem parecer do CMDU pois não passou por lá.


Art. 174 O Município estabelecerá, mediante lei, em conformidade com as diretrizes do plano diretor, normas de zoneamento, loteamento, parcelamento, uso e ocupação do solo, índices urbanísticos, proteção do patrimônio histórico, cultural e ambiental, áreas envoltórios dos bens tombados, e demais limitações administrativas pertinentes.

Parágrafo Único - O Plano Diretor e toda e qualquer alteração às normas a ele correlatas receberão, antes de serem submetidas à apreciação da Câmara, um parecer do Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano.

https://leismunicipais.com.br/lei-organica-campinas-sp




-Atualização 9/2/24
Consulta ao site da Câmara hoje mostra que o PLC 3/2024 não precisa de audiência pública...
Como assim????




https://sapl.campinas.sp.leg.br/materia/417756



Está claro que precisa:


Regimento interno da Câmara de Campinas




https://www.campinas.sp.leg.br/atividade-legislativa/regimento-interno/regimento-interno-texto-atualizado-ate-a-res-984-2021




-Atualização 9/2/24



Alagamento próximo ao Cortume.
A cidade não comporta uma chuva comum de verão e a @prefcampinas ampliando as áreas permeáveis. Estão vendendo a cidade ao mercado imobiliário...



-Atualização 5/3/24

CMDU CONSELHO MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO URBANO EDITAL DE CONVOCAÇÃO DA 386ª REUNIÃO ORDINÁRIA – 12/03/2024 Convocamos os Senhores Conselheiros titulares representantes das entidades titulares e convidamos os representantes das entidade suplentes que compôem os respectivos segmento deste Conselho, para 386ª Reunião Ordinária a ser realizada 3ª feira dia 12 de março de 2024, às 18h30, rm ambiente virtual. Link de acesso https://salavirtual.campinas.sp.gov.br/b/mar-1ew-1by-h65 Ordem do dia 1. Apresentação e votação da Ata da 385ª Reunião Ordinária; 2. Apresentação, debate e votação dos Pareceres referente aos PLCs: PLC nº 105/2023 – relator Fabio Bernils PLC nº 106/2023 – relator Fabio Muzetti PLC nº 111/2023 – relator Ronaldo Gerd Seifert 3. Formação de comissão para exarar Parecer referente ao PLC: PLC nº 03/2024 Dispõe sobre o Parcelamento, Uso e Ocupação do Solo do Polo de Inovação para o Desenvolvimento Sustentável – PIDS 4. Moção de pesar – Anita Mendes Aleixo Saran; 5. Palavra aberta, Diretores e Conselheiros. Campinas, 05 de março de 2024
RONALDO GERD SEIFERT

OBS- Resgate Cambuí fará a relatoria do parecer do PLC 3/24

-Atualização 7/3/24

Secretaria do Verde amplia licenciamentos ambientais a cada ano




ALGUMAS OPNIÕES DA SOCIEDADE
Para a ativista Tereza Penteado, os licenciamentos ambientais em Campinas deveriam ser multidisciplinares e interdisciplinares e por várias secretarias. Não ser visto a penas do ponto de vista técnico e jurídico: “As secretarias não se conversam entre si sobre o que estão analisando e decidindo e isso é extremamente problemático“

Para o advogado ambientalista Carlos Alexandre Fanton o crescimento na concessão de licenças também têm sido um benefício para a “Sustentabilidade” da Cidade, visto que temos a redução de iniciativas irregulares, além de atender outros direitos constitucionais dos cidadãos, contudo com o devido regramemto e fiscalização. Considerando que Campinas é uma “cidade-referência” em termos ambientais no país, Fanton Silva acha que devemos acreditar ou levar a sério a transparência e a tecnicidade da Secretaria do Verde sobre os licenciamentos: “Podemos ter certeza de que a qualidade das Licenças Ambientais concedidas na cidade oferece segurança jurídica e sustentabilidade para o desenvolvimento, e o COMDEMA – Conselho Municipal de Meio Ambiente, parte integrante e agente de transparência cidadã – vem cumprindo seu papel fundamental no Sistema Municipal de Meio Ambiente, aferindo, sugerindo e deliberando com transparência todo processo de Gestão Ambiental da Cidade em conjunto da SVDS Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável.” “Podemos melhorar, o apoio da população para que o orçamento de aplicação é evolução tecnológica dos serviços de Gestão Ambiental da Cidade sejam ampliados, também é fundamental entender a importância de eleger legisladores e executivos com competência e compromisso com a Sustentabilidade.” – declarou.

Presidente do COMDEMA diz que não ha visão de Barão Geraldo no cenário municipal e regional
Para a professora Maria Helena Rodrigues, presidente do COMDEMA (o Conselho Municipal do Meio Ambiente), os Licenciamentos Ambientais em Campinas é uma das “incoerências” vivenciadas pela Prefeitura e o próprio Conselho já concluiu e considera isso: “Existem muitas incoerências na aplicação de políticas de conservação, preservação, recuperação de recursos ambientais há muitos anos Se, por um lado, os procedimentos para Licenciamento Ambiental tenham protocolos específicos e pontuais legalizados, por outro lado, não há visão do Distrito de Barão no cenário global do município e da região. O que se conseguirá com mais parcelamento do solo? O que se conseguirá de positivo com a redução absurda da área rural, especialmente nessa região? Onde estão os estímulos ao fortalecimento das atividades de reflorestamento ou de atividades rurais essenciais (produção sustentável de alimentos da horticultura orgânica? ”

E, ainda a incoerência de estarmos (Decreto de 15.02.2024) com nova denominação para a Secretaria do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável – SVDS para Secretaria Municipal do Clima, Meio Ambiente e Sustentabilidade – SECLIMAS, a par de demonstração planos e algum histórico… Alterar denominação sem alterar, na essência, esse atendimento às ambições desmedidas das empresas incorporadoras – que impermeabilizam progressivamente – é a contradição maior. E o pior que se pode constatar: as Secretaria municipais, ainda que tivessem que colaborar entre si, atuam com focos estritos, sem qualquer transversalidade. Podem não ter sintonia de ações, duas Secretarias tais como a Secretaria do Verde (atual SECLIMAS, que planeja) e a Secretaria de Serviços Públicos que deveria executar, implementar os planos?

Para a presidente da ONG APAVIVA Angela Podowsky o Licenciamento municipal é recente e só foi aprovado pelo SISNAMA, porque Campinas possui um orgão de controle social que é o COMDEMA (Conselho Municipal de Meio Ambiente). “Desde que Campinas ficou apta a fazer licenciamento municipal a SVDS (Secretaria do Verde) tem lucrado com taxas dos licenciamentos e multas ambientais. Estes recursos são encaminhados para um Fundo, o PROAMB, que decide como usar o recurso.“

Podowsky diz que é importante lembrar que, se houve aprovação de obras, através de licenciamento, houve algum dano à natureza. E por isso a APAVIVA, também representada no COMDEMA, luta para que haja participação social na decisão de onde e como usar este dinheiro. “Os recursos do PROAMB são usados para sustentar os projetos do atual secretário do verde.”

Para Angela, o COMDEMA para cumprir sua função social como órgão deliberativo, deveria ser consultado, o que, segundo ela, não vem ocorrendo. “As decisões são tomadas dentro dos gabinetes em ações que beneficiem os políticos que ocupam os cargos de confiança. Enquanto as demandas para conservação das ultimas áreas verdes do município, dos projetos socioambientais das comunidades locais nunca são atendidos com os recursos do fundo municipal de meio ambiente.”– disse ela.

 https://jornaldebarao.com.br/2024/02/14/secretaria-do-verde-amplia-licenciamentos-ambientais-a-cada-ano/?fbclid=IwAR2WOOs9WPnDtEhRuyUTO4XzBWCEsUiUQNnOw9yGusQpSBO5IuDE1-Bs_dE

 

-Atualização 22/3/24

Atenção que a Unicamp fala do Hids e da Fazenda Argentina como se o Pids não fosse ter influência na área...

Mas....vejam os mapas:


Hids



Pids





A proposta de criar um Hub Internacional para o Desenvolvimento Sustentável (HIDS) está alinhada com o compromisso da Unicamp de fazer face aos desafios do desenvolvimento sustentável e tem origem nas discussões sobre as possibilidades de uso e ocupação da Fazenda Argentina, adquirida pela Universidade em 2014 e que estendeu a área de seu campus em 140 hectares.

De 2020 a 2022, a partir de um convênio entre o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), a Unicamp e a Prefeitura de Campinas para elaboração de um master plan para a área. Desenvolvido pelo Korea Research Institute for Human Settlement (KRIHS), a proposta de ocupação sugere a criação de duas centralidades mais adensadas, com uso misto (incluindo habitação, áreas corporativas, comércio e serviços) e áreas predominantemente residenciais. As únicas áreas exclusivas para atividades tecnológicas são as já existentes e a área da Fazenda Argentina (CEUCI, 2022)


https://www.hids.unicamp.br/hids-unicamp/plano-de-ocupacao-hids-unicamp/


-Atualização 25/3/24

Unicamp apresenta projetos de inovação ao banco dos Brics, na China





A delegação brasileira também visitou o banco do Brics, na sede em Shanghai, e apresentou à presidente da instituição financeira, Dilma Rousseff, ex-presidente do Brasil, o projeto do HIDS — área de aproximadamente 11 milhões de metros quadrados, na Fazenda Argentina, no campus de Barão Geraldo, onde se pretende criar um “bairro”, onde haja residências combinadas com empresas de tecnologia em edifícios sustentáveis.

De acordo com o reitor, a presidente “expressou muito interesse” nas iniciativas na área de inovação. “Ela explicou que o banco não disponibiliza financiamentos a fundo perdido, mas pode financiar projetos cooperativos com empresas, especialmente no contexto do HIDS, seja através da própria empresa ou via empréstimo soberano com garantia governamental”, disse o reitor.

https://www.acidadeon.com/campinas/cotidiano/unicamp-apresenta-projetos-de-inovacao-ao-banco-dos-brics-na-china/



-Atualização 12/4/24

Ocupação da Fazenda Argentina deve orientar futuro da Unicamp

Primeira versão da proposta foi apresentada nesta quinta-feira (10) para representantes da administração central e para um grupo de pesquisadores




A Coordenação de Implantação do HIDS (Hub Internacional para o Desenvolvimento Sustentável) Unicamp foi criada em 2022 por meio da Resolução nº 23 para formular o planejamento inicial da Fazenda Argentina. Nesta quinta-feira, dia 10, foi apresentada uma primeira versão da proposta de plano em evento que contou com a presença do reitor da Unicamp, Antonio José de Almeida Meirelles, do pró-reitor de pesquisa, João Marcos Travassos Romano, do pró-reitor de extensão e cultura, Fernando Antonio Santos Coelho, e de cerca de 50 professores e pesquisadores da Universidade. “Na construção do HIDS Unicamp, temos o desafio de mostrar para toda a sociedade que é possível compatibilizar visões e promover desenvolvimento econômico com a preservação do meio ambiente. Acredito que, com este projeto, poderemos dar um salto significativo no papel que a Unicamp pode desempenhar no Brasil, na América Latina e no mundo”, disse o reitor na abertura do evento.

Adquirida em 2013 pela Unicamp, o uso e a ocupação da Fazenda Argentina não chegaram a ser incluídos no escopo do Plano Diretor Integrado (PDI). O plano de ocupação apresentado na quinta-feira tem como objetivo orientar a implantação ordenada do HIDS Unicamp na Fazenda Argentina, em harmonia com o desenvolvimento do HIDS em seu entorno e com os princípios do PD-Integrado da Unicamp. “Quando não há planejamento antes de ocupar um território, em geral não se aplica um uso mais racional do terreno e, com isso, muitas oportunidades são perdidas”, pontuou a arquiteta e professora da Fecfau Gabriela Celani.

De acordo com ela, a questão não é simplesmente planejar, mas entender o conceito por trás desse planejamento. No caso da Fazenda Argentina, não se trata de fazer uma mera ‘divisão’ do território para diferentes projetos, mas de aplicar um conceito mais inovador, criando um adensamento mais concentrado, deixando mais áreas livres. “Com isso, você reduz o impacto da ocupação nos recursos naturais. As áreas livres podem ser aproveitadas em outras atividades como agricultura experimental, usina solar, preservação ambiental etc. Essa mudança de paradigma é o mais importante”, explicou Celani, que também é diretora do Centro de Estudos sobre Urbanismo para a Inovação e o Conhecimento (Ceuci) e membro da equipe do HIDS Unicamp.

Na apresentação da proposta, o coordenador da equipe da implantação do HIDS Unicamp, Mariano Laplane, explicou que a ideia foi incorporar os conceitos que são considerados os mais sustentáveis, os mais racionais e os mais ecologicamente corretos atualmente sob os pontos de vista da arquitetura e do urbanismo. “A versão final da proposta será encaminhada à administração para discussão nas instâncias deliberativas da Universidade”, salientou.

O diagnóstico ambiental e as revisões preliminares indicam que existe, no HIDS, uma vegetação e uma fauna resilientes e adaptadas à matriz predominantemente urbano-rural de seu território
O diagnóstico ambiental e as revisões preliminares indicam que existe, no HIDS, uma vegetação e uma fauna resilientes e adaptadas à matriz predominantemente urbano-rural de seu território

Uma ocupação mais compacta e sustentável

O plano de ocupação também levou em consideração as características biofísicas da área da Fazenda Argentina, bem como os remanescentes de vegetação nativa, matas tombadas, Áreas de Proteção Permanente (APPs) e o fluxo de fauna. Em todas estas áreas, as construções estão proibidas. De acordo com a proposta, na área da Fazenda, as APPs têm 50 metros de largura de cada margem dos córregos e de raio ao longo das nascentes. É importante mencionar que tanto as APPs quanto as matas tombadas estão passando por processo de restauração ecológica no âmbito do projeto Corredores Ecológicos da Unicamp.

O diagnóstico ambiental e as revisões preliminares indicam que existe, no HIDS, uma vegetação e uma fauna resilientes e adaptadas à matriz predominantemente urbano-rural de seu território. A partir destes dados, a equipe do HIDS Unicamp está elaborando um Plano de Monitoramento da Biodiversidade para fornecer diretrizes gerais que possam embasar as decisões e procedimentos, surgidos mediante a demanda ambiental e as oportunidades de pesquisa oferecidas durante a implantação e o funcionamento do HIDS.

Com relação ao uso do solo, a partir da proposta de master plan elaborada pelo instituto coreano KRIHS, no âmbito do convênio com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), nas contribuições recebidas na consulta à comunidade da Unicamp e na série de oficinas Unicamp 2050, propõe-se que, ao longo do período 2024-2050, a área construída ocupe no máximo 25% da área total da Fazenda (ou 350 mil m2). Esta área, com 280.000 m² ou 20% da área total, inclui espaços reservados para instalações da Unicamp. “Esta dimensão é adequada para abrigar os 75 projetos cadastrados na consulta de demanda que fizemos junto à comunidade, em que a área potencialmente necessária foi estimada em 170.000 m², além de outros projetos que possam ser de interesse da universidade”, detalhou Laplane. Além disso, 70.000 m² (ou 5% da área total reservada para receber edificações) serão destinados à implantação de equipamentos públicos e comunitários, conforme exigido por lei.

Ainda de acordo com o plano de ocupação, 75% do total da área da Fazenda (ou 1.050.000 m2) devem permanecer como áreas livres. Isso significa que a área que não poderá ser construída representa três quartos da área total da área da Fazenda Argentina e inclui áreas ecológicas, experimentais e de uso social.

Vista de trecho que compõe a Fazenda Argentina
Vista de trecho que compõe a Fazenda Argentina; técnicos realizam medições

Mobilidade ativa e caminhabilidade

A elaboração da proposta de sistema viário para a Fazenda Argentina contou com a colaboração de pesquisadores do Ceuci. Ela tem como ponto de partida as diretrizes viárias propostas pela Prefeitura Municipal de Campinas na minuta do PLC para o PIDS, mas também considera as manchas de vegetação remanescente, o projeto dos corredores ecológicos, a localização das APPs, a via existente que conecta a sede da Inova ao campus Zeferino Vaz e a possibilidade de uso agrícola na faixa não edificável sob a linha de transmissão de energia elétrica que cruza a Fazenda.

Conforme explicou Laplane, o objetivo foi integrar a malha viária interna da Fazenda com a da cidade como um todo, bem como evitar a criação de cercamentos, bolsões, cancelas e interrupções. Além disso, a proposta prevê redução do número e da largura de faixas veiculares, além de estratégias de acalmamento de tráfego, sem criar barreiras físicas a pedestres ou ciclistas. “Buscamos respeitar as pré-existências e os projetos anteriores para a área da Fazenda e principalmente promover a caminhabilidade, por meio da criação de uma malha urbana com maior permeabilidade para o pedestre”, destacou a arquiteta e pesquisadora do Ceuci, Marcela Noronha.

Além da ocupação mais compacta, uma premissa estabelecida na proposta apresentada à comunidade é que haja uma implantação gradual das áreas reservadas para edificações, aproveitando, em uma primeira fase (2025-2030), a infraestrutura existente na borda norte da Fazenda Argentina (Av. Ricardo Benetton) e explorando as sinergias com parceiros do HIDS instalados nas proximidades. “A implantação de instalações próximas da sede da Inova permitirá ocupar progressivamente as áreas na frente do CPQD e gerar massa crítica para atrair parceiros externos”, pontuou o coordenador do HIDS Unicamp. Ainda de acordo com ele, a ocupação da borda sul da Fazenda depende fundamentalmente da construção da infraestrutura viária, processo sobre o qual a Unicamp não tem governança. Por esse motivo, propõe-se concentrar os esforços na outra borda. “O desenvolvimento de parcerias externas, com atores públicos e privados, é indispensável em função do volume de recursos necessários, tanto para a construção de instalações acadêmicas como de equipamentos públicos e comunitários”, destacou o coordenador.

“Poucas universidades têm o potencial da Unicamp em termos de diversidade de áreas de pesquisa, de formação de pessoas e de localização. Temos próximo ao nosso campus importantes instituições e equipamentos de pesquisa. Isso gera muitas possibilidades. Temos que aproveitar isso. O modelo de ocupação do HIDS Unicamp pode ajudar a aprofundar parcerias para gerar desenvolvimento e qualidade de vida para as pessoas e mostrar que é possível conciliar isso com a conservação dos recursos naturais”, afirmou Meireles. “Nosso desafio é alinhar as diferentes perspectivas em torno de uma proposta concreta de ocupação e depois, trabalhar para efetivá-la de modo a criar pontes para um futuro melhor”, ressaltou o reitor.

https://www.jornal.unicamp.br/noticias/2024/04/12/ocupacao-da-fazenda-argentina-deve-orientar-futuro-da-unicamp/#gsc.tab=0



nnnn

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.