domingo, 18 de outubro de 2020

 

Denúncias em Campinas. 




-Crime ambiental:

Denúncia de suposta ocorrência de crime e ilícito cível ambiental, praticados pelo prefeito de Campinas Jonas Donizete .
Carlos Fanton presidente nacional dos conselhos de meio ambiente e ex presidente por duas gestões do Comdema de Campinas-SP ,protocolou a documentação no MP e também na delegacia especializada em meio ambiente em Campinas.
Protocolo Ministério Público 1217/20 de 6/10/20.
Protocolo na Polícia Ambiental em 16/10/20

A suposta ocorrência se dá em razão do não cumprimento das normas da APA Campinas.
Foi alterada a lei da APA de Campinas sem participação do Congeapa, conselho deliberativo da APA .
Houve também, supostamente, um crime ambiental na APA de Campinas por supressão der fragmento florestal, pela lei 9605/1998.

Documentação completa no link:
https://drive.google.com/file/d/1xLSD-jOjG0TKulSLVSdtf_dUw4B8jicR/view?usp=sharing

Denúncia na Polícia, delegado vai abrir um inquérito:
https://www.youtube.com/watch?v=RSXmSjZF_L8






Notícias sobre a mudança na lei da APA:

-PL quer derrubar 20 hectares da APA e dar "carta branca" para desmatamento
O projeto é alvo de críticas de vereadores e do Conselho Gestor da Área de Proteção Ambiental (Congeapa), pois alterará o artigo 18º da lei municipal nº 10.850, de 2001.
Trecho:
Com isso, será possível desmatar a APA em casos que gerem “baixo impacto ambiental” - este critério é considerado “nebuloso” e pode dar uma espécie de “cheque em branco” para a Administração desmatar a APA com base em seus próprios critérios.
A 1ª votação do PL foi na noite da última segunda-feira (27) e teve apenas três votos contrários: Mariana Conti (PSOL), Pedro Tourinho (PT) e Gustavo Petta (PCdoB).
https://www.acidadeon.com/campinas/NOT,1,1,1291556,PL+quer+derrubar+20+hectares+da+APA+e+dar++carta+branca++para+desmatamento.aspx

-Lei aprovada na Câmara de Campinas autoriza derrubada de árvores para construção de reservatório
Secretário do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Campinas, Rogério Menezes defende que a mudança tem a finalidade de compatibilizar o que estabelece o artigo 8º do Código Florestal, cujo texto diz que "a intervenção ou a supressão de vegetação nativa em Área de Preservação Permanente somente ocorrerá nas hipóteses de utilidade pública, de interesse social ou de baixo impacto ambiental previstas nesta Lei."
https://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/noticia/lei-aprovada-na-camara-de-campinas-autoriza-derrubada-de-arvores-para-construcao-de-reservatorio.ghtml




Nenhum comentário:

Postar um comentário