terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Queda de árvore é o fim da linha do descaso do poder público

















Árvores não caem...
Se houver cuidado...
Se houver planejamento...
Se houver inventário quali-quantitativo...

Árvores caem pelo desprezo ...
Pela falta de cuidado...
Pela omissão dos órgãos competentes...
Pela falta de planejamento...
Pelo desconhecimento técnico...
Pelos maus-tratos ...

Entrevista com José Hamilton Aguirre Junior, dia 25/12/14 , especialista e mestre em arborização urbana http://globotv.globo.com/eptv-sp/jornal-da-eptv-1a-edicao-campinaspiracicaba/v/campinas-tem-4-mil-arvores-a-espera-de-poda-e-extracao/3853812/
José Hamilton complementa sua fala:
"..Sobre quedas de árvores... o trabalho técnico sério existe para planejar, gerir e evitar que isso ocorra... inventários quali-quantitativos são importantes ferramentas de gestão pública da arborização. Quedas de árvores são o fim da linha do descaso do poder público.
 Aumentaram-se gigantescamente os recursos para remoção e poda de árvores, mas isso continua refletindo na destruição da arborização, na péssima qualidade do serviço e na ausência de respostas corretas à população que chega a esperar 6 anos - faltam técnicos qualificados e o serviço é feito sob medição. Precisamos cada vez mais das árvores e do uso efetivo do conhecimento. 
Nossa sociedade tenta transformar as árvores em vilãs, quando são tão vítimas do descaso quanto os cidadãos. Queda de árvore é o fim da linha da inoperância do poder público!!! Avaliações técnicas corretas, inventários e censos temporais evitam que isso ocorra..."
Matéria do G1  http://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/noticia/2014/12/campinas-tem-espera-de-ate-6-anos-para-poda-ou-extracao-de-arvores.html  , demonstra a fragilidade das avaliações e da falta de um inventário.
Frase citada no final da reportagem ..."segundo a prefeitura as equipes que fazem a avaliação das árvores são treinadas para avaliar as condições e em caso de dúvida um engenheiro agronomo é acionado para ajudar na decisão"...
E o problema não é de hoje, veja link com video de 2011  http://blog.individuoacao.org.br/2011/11/arvores-em-campinas-correm-risco-de.html
O bairro Cambuí é o único em Campinas que possui censo de arborização viária  http://www.readoz.com/publication/read?i=1043428#page10  , e pelo estudo foi constatada a carencia de 6199 árvores apenas no bairro Cambui (ano 2007/2008)
Em 2012 houve o estudo "Quantificação da arborização urbana viária de Campinas" pela Embrapa atraves dos pesquisadores Ivan A.Alvarez e Bruna C Gallo http://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/82260/1/029-12.pdf.
Foi efetuado um têrmo de cooperação técnica entre A Embrapa e a prefeitura de Campinas (http://www.campinas.sp.gov.br/uploads/pdf/cooperacao%2003_2013.pdf ), para implementação do projeto "Arvores de Campinas : banco de dados cadastrais" cuja duração seria de 12 meses , de junho de 2013 a maio de 2014. Pesquisa no site da prefeitura sobre o andamento do processo, mostra que em 19/12/14 ele se encontrava no gabinete do secretario -SVDS.Importante notar que apesar arborização viária ser responsabilidade da secretaria de serviços públicos(DPJ), esse convenio não passou pelo setor

Campinas necessita do cadastramento e inventário quali-quantitativo de todas as árvores da cidade.
Esse inventário vai descrever o estado de saúde de cada árvore.
Com isso evitaremos chegar na situação de calamidade atual , onde se tem várias quedas de árvores.
O Movimento Resgate o Cambuí, juntamente com a sociedade civil, solicitou orçamento à USP-ESALQ atraves do Prof. Demóstenes Ferreira da Silva filho.
O orçamento segue no link http://pt.slideshare.net/ResgateCambui/cadastramento-e-inventario-usp  e toma como base o número de individuos do estudo da Embrapa, ou seja, 127.367.
O valor do estudo é de R$ 1.528.404,00, com o valor unitário de R$ 12,00 (doze reais) por árvore.
Na licitação para contratação de empresa(s) para a prestação de serviços de manutenção contínua de áreas verdes, consta no documento apendice 2 ( http://pt.slideshare.net/ResgateCambui/13-novo-apendiceialote2doanexoi20140408163144 ), o valor de R$ 22.106.179,93 como total para manutenção da arborização, plantio de árvores e equipe técnica.
Consta tambem o valor mensal sendo R$ 1.842.181,66.
Questionamos o fato de não ter sido exigido um inventário , pois ele seria menor que o valor gasto em um mês .
Questionamos o gasto com manutenção de árvores sem ter estudo do real estado que se encontram
Questionamos o plantio sem prévio inventário.
Esses e outros questionamentos serão respondidos no Ministério Público através do inquérito civil que apura possiveis irregularidades no serviço com a arborização em Campinas( informações no link http://blog.individuoacao.org.br/2014/05/o-ministerio-publico-instalou-inquerito.html )
Atenção ao fato de que apesar da verba dos contratos para manutenção das areas verdes e arborização ser de mais de 73 milhões  ,não há plantão nos finais de semana e feriados, ficando a população sem ter a quem recorrer .
Importante frisar que na licitação todo trabalho deve ter a orientação/ fiscalização e ordens de serviço do DPJ (Departamento de Parques e Jardins de Campinas) que até pouco tempo atras possuia poucos técnicos graduados para o serviço.
Importante tambem ver uma extração de árvore feita pela MB (vencedora da licitação) , onde o serviço não é executado com técnica e supervisão , colocando pedestres , automóveis e os proprios funcionários em risco https://www.youtube.com/watch?v=HY5DMAo5E-U

Segue mais informação:
Poda e extração de árvores urbanas-265 unidades/mes
Plantio- 1400 unidades /mes
Sendo 5 equipes de 15 profissionais (75) para pode e extração e 2 equipes de 12 profissionais (24) para plantio.
Novamente questionamos como extrair e plantar árvores sem ter sido feito um inventário.
Trecho extraido do documento "Projeto Basico" mostra a preocupação de identificação de cada ponto do sistema  de iluminação existente.
Perguntamos porque não se tem essa mesma preocupação na identificação , tão necessária, das árvores?
Mesmo com todos os problemas citados, a população avança com seus projetos:
e consegue alguns resultados:


Movimento Resgate o Cambuí

Tereza e grupo




















Árvore da Rua Santos Dumont entre a Maria Monteiro e a Cel Quirino