sábado, 17 de abril de 2021

CAMPINAS FALA UMA COISA E FAZ OUTRA

 




                         CAMPINAS FALA UMA COISA E FAZ OUTRA







Pelas postagens oficiais , a sustentabilidade e a transparência são absolutas...Mas a realidade é outra.
Confiram o material abaixo:
Postagem oficial da prefeitura  
http://www.campinas.sp.gov.br/noticias-integra.php?id=40076&fbclid=IwAR2acT6l8rni7imscwcYW3pjmrKeNbKcQp9wdFN4k3rCnI2Wmp38WMeePTw
Parecer desfavorável do Comdema ao Relatório PMVA 2020 
https://drive.google.com/file/d/184FGcGEKXkD-1A4iZpaxHKo7TnPkz1Pj/view 










quinta-feira, 25 de fevereiro de 2021

Campinas apressa aprovações , enquanto a região suspende aprovações de novos empreendimentos imobiliários.

Campinas apressa aprovações , enquanto a região suspende aprovações de novos empreendimentos imobiliários.






Campinas quer apressar as aprovações de projetos de edificações , enquanto Louveira, Valinhos e Nova Odessa suspendem, ou pretendem suspender, os licenciamentos.

Aprovação rápida

O prefeito Dário Saadi (Republicanos) pretende implantar, em Campinas, projeto semelhante ao Aprova Rápido, da Capital, que permite aprovação rápida de projetos de edificações e emissão de alvarás entre 75 e 130 dias. Os alvarás são emitidos por via eletrônica. Ele quer facilitar a vida dos empreendedores, especialmente da construção civil, setor de alta empregabilidade e dar agilidade às demandas. A demora nas aprovações sempre foi reclamação do setor.

https://correio.rac.com.br/_conteudo/2021/01/colunistas/xeque_mate/1047980-aprovacao-rapida.html

Nova Odessa suspende por 120 dias a aprovação de novos empreendimentos imobiliários.

https://www.jornaldenovaodessa.com.br/noticias/prefeitura-de-nova-odessa-suspende-aprovacao-de-novos-loteamentos-habitacionais/

 

Decreto suspende aprovação de condomínios e loteamentos e prevê pente-fino nos 5 últimos anos

https://louveira.sp.gov.br/conteudo/decreto-suspende-aprovacao-de-condominios-e-loteamentos-e-preve-pente-fino-nos-5-ultimos-anos


Moção aprovada pede suspensão temporária da aprovação de novos loteamentos em Valinhos

http://camaravalinhos.sp.gov.br/index.php?module=noticias&id=5909

Moção-documento

http://camaravalinhos.sp.gov.br/index.php?module=noticias&id=5909

 

 


Vídeo

Valinhos quer suspensão de licenciamentos

https://www.youtube.com/watch?v=hp7SvP1eWZo&feature=youtu.be



E Campinas:


CONSTRUÇÃO CIVILARI libera alvará de obras em três diasSistema vale para projetos imobiliários com limite de altura de até 10 metros

 

Lei sancionada no final de dezembro amplia a possibilidade de aprovação rápida de empreendimentos em toda a cidade pelo sistema de Aprovação Responsável Imediata (ARI). O sistema, que libera o alvará de execução de obras em três dias, tem como base a confiança nas informações que serão fornecidas pelos empreendedores. Mas se ao longo da execução a fiscalização detectar irregularidades, e não houver possibilidade de adequação, a construção será demolida.

 

https://correio.rac.com.br/_conteudo/2021/01/campinas_e_rmc/1046112-ari-libera-alvara-de-obras-em-tres-dias.html?fbclid=IwAR20u8HiCZaOA7qZuE7qnisFGIeTBBE_QJ42prp-_z8Fdh1DWrknKcnyvzk

 

 

Aprovação rápida

Aprovação rápida

O prefeito Dário Saadi (Republicanos) pretende implantar, em Campinas, projeto semelhante ao Aprova Rápido, da Capital, que permite aprovação rápida de projetos de edificações e emissão de alvarás entre 75 e 130 dias. Os alvarás são emitidos por via eletrônica. Ele quer facilitar a vida dos empreendedores, especialmente da construção civil, setor de alta empregabilidade e dar agilidade às demandas. A demora nas aprovações sempre foi reclamação do setor.

https://correio.rac.com.br/_conteudo/2021/01/colunistas/xeque_mate/1047980-aprovacao-rapida.html

 


Prefeito se reúne com representantes do Avança Campinas

 

20/01/2021 - 12:39

Ainda segundo o prefeito, até o final deste mês, as entidades devem ser chamadas para conhecer a proposta do “Aprova Fácil”, que vai simplificar os procedimentos e integrar setores da Administração para fazer análises urbanísticas e reduzir o tempo de análise e aprovação de projetos arquitetônicos.

http://www.campinas.sp.gov.br/noticias-integra.php?id=39422

Novo decreto municipal altera procedimento para cadastro de glebas

 

O Decreto nº 21.292 publicado na edição do dia 2 de fevereiro do Diário Oficial do Município alterou o procedimento para cadastro de glebas. A mudança visa agilizar o processo de cadastramento de terrenos tendo em vista a demanda do mercado imobiliário.

 

O secretário de Planejamento e Urbanismo, Renato Mesquita, frisa que a Pasta está com um Programa de Desburocratização em curso e essa alteração é parte das ações.

 

“O decreto anterior, nº 20.739/2020, não permitia o cadastramento de glebas que estivessem com débitos de IPTU. No entanto, após a alteração promovida pelo decreto, o cadastro fica autorizado e a cobrança do imposto será efetivada ao final do processo, depois de aprovado o cadastro e emitida a certidão de diretrizes urbanísticas”, explicou o secretário.

 

Mesquita acrescentou que, ao final da tramitação no Planejamento, o processo é encaminhado à Secretaria de Finanças para as medidas pertinentes. “Por isso propusemos essa alteração no texto, que agiliza os processos da nossa Pasta”, acrescentou.

 

O secretário destacou que o processo de cadastramento de glebas é importante para o reconhecimento do território municipal, uma vez que o registro dessas terras gera diretrizes urbanísticas para o município.

 

”Além disso, a gleba cadastrada facilita negociações com parceiros, investidores e possíveis compradores interessados em empreender e, consequentemente, viabiliza o pagamento dos débitos com a Prefeitura”, ressalta. 

Para ler o Decreto 21292/2021 na íntegra, clique aqui.

https://bibliotecajuridica.campinas.sp.gov.br/index/visualizaroriginal/id/136706

Veja a matéria original neste link.

http://www.campinas.sp.gov.br/noticias-integra.php?id=39631

 

Seplurb publica notificação para 300 casos que estão parados na Pasta

A Secretaria Municipal de Planejamento e Urbanismo publicou nas edições do Diário Oficial dos dias 11 e 12 de fevereiro um conjunto de editais de notificação. Os avisos alertam os interessados nos protocolos com pendências nas Coordenadorias de Aprovação de Projetos e de Planejamento e Desenvolvimento Físico-Territorial para que se manifestem, visando tomar para providências necessárias para cada caso.

De acordo com o secretário da Pasta, Renato Mesquita, os técnicos estimam em cerca de 300 os protocolos parados aguardando manifestação dos interessados. “Solicitei aos gestores que fizessem um mutirão para que possamos dar os encaminhamentos devidos a esses protocolados. Para isso é necessário que os responsáveis atendam às exigências solicitadas pela análise técnica”, explicou.

O prazo para providências e manifestação é de 30 dias, a contar da data de publicação, sob pena de indeferimento e outras medidas legais cabíveis. As penalidades estão previstas na Lei Complementar nº 09/03, que dispõe sobre o Código de Projetos e Execuções de Obras e Edificações do Município de Campinas (Código de Obras).

Clique aqui http://www.campinas.sp.gov.br/ckfinder/userfiles/files/PROTOCOLOS_CAP.pdf  para acessar a tabela referente aos protocolados da Coordenadoria de Aprovação de Projetos (CAP), e aqui http://www.campinas.sp.gov.br/ckfinder/userfiles/files/PROTOCOLOS_CSPF.pdf para os processos da Coordenadoria Setorial de Planejamento e Desenvolvimento Físico - Territorial (CSPF).

Veja a matéria original neste link.

http://www.campinas.sp.gov.br/noticias-integra.php?id=39622

 

Com retomada Dario espera investimento imobiliário de R$ 1 bi

Prefeito visitou e concedeu entrevista exclusiva ao Correio Popular, em que abordou os planos e os desafios que terá de enfrentar com a pandemia. Embora admita que os obstáculos são muitos, ele aposta em uma retomado do crescimento econômico.

https://correio.rac.com.br/_conteudo/2021/02/campinas_e_rmc/1060041-com-retomada-dario-espera-investimento-imobiliario-de-r-1-bi.html


domingo, 7 de fevereiro de 2021

Árvores-denúncias Ano 2021

 

Árvores-denúncias

Ano 2021

Página para denúncia de extrações, podas ou maus-tratos às árvores de Campinas.

Somos do Movimento Resgate Cambuí e defendemos e cuidamos das árvores do Cambuí.Temos 3 inventários quali-quantitativo do bairro Cambuí.

Também somos conselheiros no COMDEMA , no CONGEAPA, CMDU e PCJ.

Essa página é sobre denúncias de extrações, podas ou mal tratos em árvores no Cambuí e também em outros locais.Abrange também notificações aos órgãos públicos de árvores em risco de quedas.

DENUNCIE no email :info@resgatecambui.org.br




-Denúncia 10  dia 25/2/21

Denúncia recebida relata a extração de uma árvore na praça localizada em frente à Igreja Matriz de Santa Izabel, na rua Benedito Alves Aranha 242 em Barão Geraldo-Campinas-SP











Solicitamos informações através da lei de acesso à informação:

Protocolo 317/2021

No início de fevereiro foi extraída uma árvore na frente da Igreja Matriz de Santa Izabel, rua Benedito Alves Aranha 242-Barão Geraldo.

Solicito:

1-Laudo de avaliação e autorização para extração.

2-Destino da madeira com comprovação da entrada, quantidade de material lenhoso, etc...

3-Comprovação de plantio de outra árvore no local.


-Denúncia 9 - dia 18/2/2021

Denúncia de extração das árvores da Rua Irmã Serafina quase esquina com av Moraes Salles.

Segundo a denúncia foram retiradas todas as árvores do canteiro central, restando apenas as palmeiras.







Vídeo do local em 19/2/21

Denúncia extração 19/2/21

https://www.youtube.com/watch?v=IeO0ZEm2_qc&feature&fbclid=IwAR21ABteJE3NI6Iio1G_Oo8DbPR9T0T3C5jpL-6_qw1nBl7ppa8hjLS9I34

Solicitamos informações pela lei de acesso à informação:

Protocolo 275/2021

Pela lei de acesso à informação solicitamos o que segue:

Hoje recebemos a denuncia que houve a extração de todas as arvores do canteiro central da rua Irmã Serafina, quase esquina com a av Moraes Salles (fotos 1 e 2).

Baseado nessa denuncia e nas fotos anexadas , solicitamos o que segue:

1-Laudo e autorizações de extrações emitidos para cada uma das arvores extraidas.

2-Caso houvessem problemas nessas arvores, houve um cuidado especial para conseguir curá-las para que não precisasse efetuar a extração ?

3-Houve um levantamento fitossanitario dessas arvores pela MB engenharia, que é quem tem essa obrigação pelo contrato da licitação?

4-Qual o volume de madeira retirada e qual o destino(comprovar com documentação.

5-Houve a venda da madeira retirada e o dinheiro encaminhado para o fundo de fomento dos parques? (Se positivo, enviar a documentação)














-Denúncia 8 = 17/2/21

Denúncia de concreto na base de uma árvore na Rua Dr. Mascarenhas 249, ao lado do Penido Burnier.

Importante sabermos que essa é a única árvore desse quarteirão, e também que o Centro tem pouquíssimas árvores para ajudar na qualidade de vida dos moradores.

Vejam isso....

 










Video do trecho da rua com a árvore:

Árvores maus tratos em Campinas 1-2-21

https://www.youtube.com/watch?v=371Lnp4xnb4&feature 


Solicitamos informações pela lei de acesso à informação:

Protocolo 274/2021

Pela lei de acesso à informação solicitamos o que segue:

Na data de 17/2/21 recebemos uma denúncia de danos à uma árvore na Rua Dr Mascarenhas 249 (fotos nos anexos 1 e 2) 

O dano foi a cobertura da envoltoria da árvore por cimento, impedindo a sobrevivencia da árvore.

Sendo a secretaria de serviços publicos (DPJ) o responsavel pelas arvores das ruas, solicitamos o que segue: 

1-Quem foi o causador do dano?

2-Que providencia foram e/ou serão tomadas para isso?

3-Quais serão as penalidades impostas ao causador do dano?



Hoje 18/2/21 , graças aos incansáveis defensores das árvores, a denúncia foi encaminhada ao sr Paulela (secretário de serviços públicos) que informou que quem causou o dano foi a secretaria de infraestrutura e o canteiro foi refeito.

Ótimo que o canteiro tenha sido refeito, mas questionamos o dano ter sido causado por quem trabalha na (ou para ) a prefeitura, que não tenha tido nenhuma preocupação com a àrvore, que não tenha sido dada nenhuma orientação sobre o serviço, etc...




 

 -Denúncia 7 = data 16/2/21

Movimento Resgate Cambuí notifica à secretaria de serviços públicos (DPJ) e à Defesa Civil sobre tres árvores de risco de queda.


Documentos protocolados :

Protocolo aviso árvores de risco-para defesa civil 16/2/21

https://drive.google.com/file/d/13N9LfKUiDWQYBfwHTvDPJE5fsHf-Y6tS/view?usp=sharing

Protocolo aviso árvores de risco-para DPJ 16/2/21

https://drive.google.com/file/d/1P3rbavc4Gp37GQan6Olf9pmexh6iOAr9/view?usp=sharing


Árvores e suas localizações:

                        Rua Guilherme da Silva


                         Av.Cel Silva Teles x r. Santa Cruz




Rua Cel Quirino ao lado Regatas







-Denúncia 6 = dia 9/2/21

Poda radical e extração de árvore na rua Joaquim de Castro Tibiriça, dias 8 (poda) e 9 (extração).

Mais uma denúncia.

Desta vez uma árvore no Parque São Quirino.

Na rua Joaquim de Castro Tibiriça.







Hoje (9/2) a denúncia foi de extração da mesma árvore que tinha tido uma poda radical dia 8/2....e a terceirizada da prefeitura levou embora toda a madeira retirada e já na medida para a comercialização , segundo as leis de números 11571/2003, 13043/2007, 13737/2009 e o decreto 17196/010.


























Sendo assim, estamos solicitando algumas informações pela lei de acesso à informação:

 

 

Protocolo 215/2021

Pela lei de acesso à informação exponho e solicito o que segue:

 

Recebemos uma denúncia na data de ontem (8/2/21) que relata uma poda drástica, supostamente sem autorização, na rua Joaquim de Castro Tibiriça 434 parque São Quirino.

E hoje a denúncia foi de extração da mesma árvore.

Fotos estão nos anexos.

Baseado nas leis de números 11571/2003, 13043/2007, 13737/2009 e decreto 17196/010 solicitamos:

1-Laudo técnico específico fornecido pelo órgão público competente e autorização para poda e extração de árvore.

2-Autorização para a firma MB extrair a arvore na data de hoje.

3-Autorização para a firma MB levar embora a madeira.

4-As fotos mostram que o material está seccionado e pronto para a comercialização, solicitamos a autorização da comercialização e também a comprovação da quantidade vendida , o valor da venda  e quem foi o comprador.

5-Comprovação da comercialização e da entrada do dinheiro no Fundo Único de Fomento aos Parques Municipais.








-Denúncia 5 = dia 8/2/21

Plantio de árvores não tem o cuidado necessário com os canteiros.

 

Árvore na Rua General Osório altura do 1952 que foi inventariada em 2017 como sendo de alto risco de queda -no link https://pt.slideshare.net/resgatecambuiong/resgate-cambuiarvores-com-alto-risco-de-queda-no-bairro-cambui

 

Recebemos uma denúncia da extração dessa árvore em 26/1/21 e em 7/2/21 fomos ao local e documentamos o plantio sem o necessário cuidado com o canteiro.

 

 










Outro plantio, ao lado do anterior.E também sem o cuidado com o canteiro:






E na Rua Coronel Quirino, plantio em 2020







E comparando o plantio do projeto Cambuí verde, executado inteiramente pela população, com o plantio da prefeitura:

Obs- o mais bem cuidado e bonito é o da população, sem nenhuma verba da prefeitura....Vergonhoso ou não????






Queremos saber de quem é a responsabilidade pelos canteiros após os plantios, sendo assim solicitamos informações pela lei de acesso à informação:

Protocolo 208/2021

Pela lei de acesso a informação solicito o que segue:

Referente aos plantios efetuados pela terceirizada da prefeitura

1-Quais são as obrigações que a terceirizada deve cumprir para plantio?

2-Quais as normas e/ou critérios devem ser seguidos quanto à execução dos canteiros?

3-Quem se responsabiliza pelos canteiros? A terceirizada ou a prefeitura?

4-Quando uma árvore é extraída e o canteiro é danificado ou se encontra em más condições, quem tem a obrigação de um novo plantio e cuidados com o canteiro? 

 


 ------------------------------------------------------------------------------------

-Denúncia 4  = dia 4/2/2021

 

Centro de Convivência em Campinas.

Denúncia com fotos mostra a terceirizada da prefeitura extraindo uma árvore que faz parte de um maciço arbóreo protegido e tombado pelo Condepacc e pelo Condephatt.

Solicitamos informações aos órgãos públicos responsáveis-copiado abaixo.


 


 



 


 







 


 

Protocolo 180/2021:

Pela lei de acesso à informação exponho e solicito o que segue (secretaria de serviços públicos):

Denúncia recebida hoje mostra extração de árvore no Centro de Convivência por terceirizada da prefeitura, com sérios danos à arborização da praça que tem sua massa arbórea protegida por tombamento de Condepacc e Condephaat-Fotos nos anexos.

Solicito:

1-autorização do Condepacc, visto que a massa arbórea da praça é um bem tombado pelo Condepacc ( Resolução 67 de 16/4/2008) e também pelo Condephaat ( Resolução SC-67 de 19/12/2017 art 2º III.)

2-Laudo técnico de vistoria

3-Autorização do setor competente

4-Nome e ART recolhido do responsável que fez o acompanhamento da extração.

5-DAP

6-Volume lenhoso

7-Comprovação do destino de todo material retirado.

8-Houveram danos a outras árvores em volta.Quem sera responsabilizado por isso e quais medidas serão tomadas?

 

Protocolo 181/2021:

Pela lei de acesso à informação exponho e solicito ao Condepacc o que segue:

Denúncia recebida hoje mostra extração de árvore no Centro de Convivência por terceirizada da prefeitura, com sérios danos à arborização da praça que tem sua massa arbórea protegida por tombamento de Condepacc e Condephaat-Fotos nos anexos.

Solicito:

1-Análise , estudos e autorização do Condepacc, visto que a massa arbórea da praça é um bem tombado pelo Condepacc ( Resolução 67 de 16/4/2008) e também pelo Condephaat ( Resolução SC-67 de 19/12/2017 art 2º III.)

2-Aprovação da autorização pelo pleno do conselho do Condepacc

3-Houveram danos a outras árvores em volta.Em sendo bens tombados,quem sera responsabilizado por isso e quais medidas serão tomadas?

Resposta Condepacc em24/2/21

181/2021-Em atenção à solicitação em questão temos a informar o que segue: 1) O Conselho de Defesa do patrimônio Cultural de Campinas - CONDEPACC - por meio da Resolução nº 67 /2008 estabele o tombamento do "Conjunto arquitetônico do Cambuí", pela sua importância histórica, arquitetônica e sócio-cultural. Portanto, não há menção ao conceito "ambiental". O item 1 do Artigo 1º da referida Resolução preserva o "uso e a função de teatro do Centro de Convivência Cultural Carlos Gomes e o traçado da Praça Imprensa Fluminense, onde qualquer intervenção que ali ocorrer deverá ter seu projeto previamente analisado e aprovado pelo CONDEPACC para garantir a integridade do patrimônio tombado." Esclarecemos que mesmo essa espécie arbórea se encontrar inserida no traçado da Praça Imprensa Fluminense, não está tombada. 2) Não houve solicitação prévia ao CONDEPACC para autorização da extração da árvore em questão. Qualquer intervenção no traçado da Praça Imprensa Fluminense deverá ser encaminhada ao CONDEPACC para análise e deliberação prévia. 3) A espécie arbórea em questão não é tombada. Entretanto, solicitamos via SEI PMC.00008683-21, de 10/02/2021 ao órgão competente desta PMC, ao Departamento de Parques e Jardins, pertencente à Secretaria Municipal de Serviços Públicos para nos informar por meio de relatório técnico o motivo da supressão do indivíduo arbóreo. Isto posto, pela necessidade de atendimento à Resolução 67/2008 de que qualquer intervenção na Praça Imprensa Fluminense deverá ter seu projeto aprovado previamente pelo CONDEPACC. Ainda, solicitamos que nos informe se há algum projeto desse Departamento de Parques e Jardins para supressão e substituição das espécies Ficus Benjamnin por espécies apropriadas que não ofereçam risco ou dano para o local, tanto para a praça como para as edificações que ali se inserem. Atenciosamente, Sandra Maria Geraldi Milne-Watson Coordenadora Setorial do Patrimônio Cultural Secretaria Municipal de Cultura Prefeitura Municipal de Campinas Fone: (19) 3705-8020

 OBS-VAMOS CONTINUAR PERGUNTANDO POIS O QUE TINHA QUE SER FEITO , OU SEJA, A SOLICITAÇÃO PARA INTERVENÇÃO, NÃO FOI FEITA.

SE EXISTE A LEI, DEVE SER CUMPRIDA.


Recurso

Prot 181/2021 em 26/2/21Solicito recurso. Conforme resposta dada, não houve o atendimento à Resolução 67/2008 de que qualquer intervenção na Praça Imprensa Fluminense deve ter seu projeto aprovado previamente pelo Condepacc. Sendo assim queremos informações sobre as responsabilizações que serão cobradas pelo Condepacc pela suposta ilegalidade e infração cometida pelo Departamento de Parques e Jardins. 

 

Novo questionamento em 26/2/21 para a secretaria de assuntos jurídicos:

Protocolo 322//2021Pela lei de acesso à informação solicito o que segue:

Sendo a secretaria de assuntos jurídicos o órgão responsável pelo cumprimento das normas estabelecidas, exponho e solicito o que segue:

No protocolo LAI 181/2021 recebemos a resposta do Condepacc, que o Departamento de Parques e Jardins não atendeu à Resolução 67/2008 que ordena que qualquer intervenção na Praça Imprensa Fluminense deve ter seu projeto aprovado previamente pelo Condepacc.

Sendo assim queremos informações sobre as responsabilizações que serão cobradas pelo não atendimento à citada resolução.




------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

-Denúncia 3 = dia 29/1/21

Bairro Cambuí - Campinas(SP)

Caiu um galho enorme de uma árvore que fica na rua Santa Cruz quase esquina com a av Silva Teles.

Mais um descuido da prefeitura, da secretaria de serviços públicos sob a responsabilidade do Paulela e do Mollo.

Campinas não tem um inventário quali-quantitativo das suas árvores, e sendo assim não cuida pois não conhece o que tem na cidade.

Vejam tambem: https://blog.individuoacao.org.br/2019/03/arvores-nao-caem.html Queda de árvore é o fim da linha do descaso do poder público

Árvores não caem...

Se houver cuidado...

Se houver planejamento...

Se houver inventário quali-quantitativo...

Árvores caem pelo desprezo ...

Pela falta de cuidado... Pela omissão dos órgãos competentes...

Pela falta de planejamento...

Pelo desconhecimento técnico...

Pelos maus-tratos ...

http://blog.individuoacao.org.br/2015/01/queda-de-arvore-e-o-fim-da-linha-do.html

 


 



 











 

Pedimos informações pela lei de acesso à informação:

Protocolo 201/2021

Pela lei de acesso a informação exponho e solicito o que segue:

Dia 29/1/21 na rua Santa Cruz quase esquina com a av. Silva Teles houve a queda de um galho enorme de uma árvore, causando danos materiais em alguns carros (foto no anexo)

Solicito as informações que seguem:

1-Qual o estado fitossanitário dessa árvore? Visto que na licitação consta essa obrigatoriedade supoõe-se que a arvore tenha um  diagnostico. 

2-Foi feito um laudo sobre o que causou a queda do galho?

3-Houve acompanhamento técnico para a extração do galho?

4-Quem é o responsável pelos danos causados aos carros? Quem vai ressarcir os prejuizos?

 

---------------------------------------------------------------------------

 

-Denúncia 2 = dia 28/1/2021

Denúncia de corte/extração de 31 árvores-Clínica Lane.

Documentação recebida mostra que é de responsabilidade de Construtora Patriani, vejam a autorização:

https://drive.google.com/file/d/1tNgWfZcsFWG_9XKUmrckSxxgH8HV_TPm/view?usp=sharing.

Infelizmente a prefeitura deu a licença para acabarem com as árvores.A secretaria do verde sempre concorda com as extrações para licenciamento de empreendimentos.

 

 










 

 


 

 

 

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

 

-Denúncia 1 = dia 26/1/2021

 

Rua Guilherme da Silva

Queremos saber como a secretaria de serviços públicos , e também a EMDEC ,agem nesse e em outros casos que envolvam danos às árvores devido à altura irregular dos caminhões.

 

 







 

 Pedidos de informações pela lei de acesso à informação:


Para a secretaria de serviços públicos:

Pela lei de acesso à informação exponho e solicito à secretaria de serviços públicos, o que segue:

Exponho:

Em dezembro de 2020, na rua Guilherme da Silva defronte ao número 150, passou um caminhão que destruiu o galho de uma árvore, provavelmente pelo excesso de altura naquela rua.

Fotos do caminhão nos anexos 1 e 2

Solicito:

1-Quando um caminhão , por altura inadequada danifica uma árvore, quais providencias são tomadas por essa secretaria?

2-Após o dano , alguém da secretaria vai até o local para conferir o que houve e o que deve ser feito para amenizar o dano?

3-Existe proibição /limite de altura dos caminhões por essa secretaria, para que as arvores não sejam danificadas?

4-Nesse caso especifico, houve algum tipo de punição ao motorista e/ou ao proprietário do caminho?

Se afirmativo, favor nos enviar a documentação.

5-Esse tipo de destruição de árvores por caminhões ocorre em Campinas com qual frequencia? E quais providencias a secretaria toma nesses casos?

Obrigada

 

Para a EMDEC-prot 141/2021

Pela lei de acesso à informação exponho e solicito o que segue:

Exponho:

Em dezembro de 2020, na rua Guilherme da Silva defronte ao número 150, passou um caminhão que destruiu o galho de uma árvore, provavelmente pelo excesso de altura naquela rua.

Fotos do caminhão nos anexos 1 e 2

Solicito:

1-Quais as alturas permitidas para um caminhão circular na cidade de Campinas.

2-Existem diferentes permissões , ou restrições, para a circulação de caminhões nos diferentes bairros de Campinas?

3-No caso especifico da rua Guilherme da Silva n.150, qual altura máxima permitida para a circulação de caminhões?

4-Houve alguma penalidade para o caminhão citado, cujas fotos estão no anexo?

Se afirmativo , favor me enviar a documentação.

Obrigada 

 

Resposta EMDEC   

https://pt2.slideshare.net/resgatecambuiong/resposta-emdec-caminho-danifica-rvore-jan-21


Respostas DPJ

https://www.slideshare.net/resgatecambuiong/rvore-danificada-por-caminho1
https://www.slideshare.net/resgatecambuiong/rvore-danificada-por-caminho2


Nova solicitação em 14/2/2021

Protocolo 234/2021

Pela lei de acesso à informação exponho e solicito à EMDEC, o que segue:

Exponho:

Em dezembro de 2020, na rua Guilherme da Silva defronte ao número 150, passou um caminhão que destruiu o galho de uma árvore, provavelmente pelo excesso de altura naquela rua.

Fotos do caminhão nos anexos 1 e 2

Solicitação à EMDEC:

1-Quando um caminhão , por altura inadequada danifica uma árvore, quais providencias são tomadas por voces?

2-Após o dano , alguém da EMDEC vai até o local para conferir o que houve e o que deve ser feito para amenizar o dano?

3-Existe proibição /limite de altura dos caminhões pela EMDEC, para que as arvores não sejam danificadas?

4-Nesse caso especifico, houve algum tipo de punição ao motorista e/ou ao proprietário do caminhão?A EMDEC foi chamada e/ou notificada?

Se afirmativo, favor nos enviar a documentação.

5-Esse tipo de destruição de árvores por caminhões ocorre em Campinas com qual frequencia? E quais providencias a EMDEC toma nesses casos?