sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

1ª Consocial: Campinas discutirá prevenção à corrupção

Regina Rocha Pitta
23/02/2012


O prefeito Pedro Serafim e o secretário municipal de Gestão e Controle, André Laubenstein, submeterão ao debate popular a criação de um plano de transparência e prevenção à corrupção no Município. O assunto será explorado dentro do quarto eixo que faz parte das discussões da 1ª Conferência Regional sobre Transparência e Controle Social (Consocial),
que acontece neste sábado e domingo, dias 25 e 26 de fevereiro.

Segundo o secretário e presidente da comissão organizadora do evento, o plano é resultado do trabalho desenvolvido ao longo dos últimos dez meses pela Secretaria de Gestão e Controle. “A estruturação deste plano surgiu a partir das investigações realizadas pelo Ministério Público”, explica Laubenstein.

A 1ª Consocial Regional, que terá a participação de Campinas, Holambra, Indaiatuba e Valinhos, será realizada na Estação Cultura Prefeito Antônio da Costa Santos, das 8h às 17h, quando serão discutidos outros três eixos - além daquele que trata das diretrizes para a prevenção e combate à corrupção -, promoção da transparência pública e acesso à informação e dados públicos; mecanismos de controle social, engajamento e capacitação da sociedade para o controle da gestão pública; a atuação dos conselhos de políticas públicas como instâncias de controle.


Para continuar lendo clique aqui

Agrotóxico afeta qualidade de morango

O Estado de S.Paulo
16 de fevereiro de 2012

A agricultura orgânica (sem agrotóxicos) produz morangos com menos problemas de má-formação e uma proporção maior de frutos polinizados, diz um estudo sueco divulgado ontem na revista PLoS One. O sucesso dos polinizadores - na maioria das vezes, insetos - é maior na ausência de pesticidas./ ALEXANDRE GONÇALVES com AGÊNCIAS

Matéria do Estadão

Monsanto é condenada na França por intoxicação de agricultor

O Estado de S.Paulo
16 de fevereiro de 2012


Um tribunal na França concluiu no início da semana que a companhia americana Monsanto é legalmente responsável pelo envenenamento de um produtor com herbicidas utilizados em 2004, abrindo o caminho para novas acusações contra a empresa.

Paul François inalou o herbicida Laço (alacloro) quando abriu a embalagem de spray. Ele passou a sofrer de náuseas, vertigem, gagueira e dores de cabeça e musculares, que o impediram de trabalhar durante um ano.

"A demonstração da relação de causalidade entre o herbicida Laço e os sintomas descritos pelo senhor François não ficou clara", afirmou a empresa, ao anunciar que vai apelar da decisão.

A matéria encontra-se no site do Estadão

Produto antifogo contamina golfinhos


Substância que retarda chama em diversos produtos é encontrada em cetáceos que vivem no alto-mar

estadao.com.br
Giovana Girardi
07 de fevereiro de 2012


SÃO PAULO - Uma substância usada para impedir que peguem fogo produtos tão variados quanto celulares, embalagens de alimento e travesseiros já está contaminando a costa brasileira, chegando a ser detectada em golfinhos de alto-mar.
Animais estudados vivem em uma população isolada no Sul e no Sudeste - William Rossiter/Cetacean Society International
William Rossiter/Cetacean Society International
Animais estudados vivem em uma população isolada no Sul e no Sudeste

Os chamados retardantes de chamas (ou PBDE – éter difenil polibrominado) foram achados em nove golfinhos-pintados-do-Atlântico (Stenella frontalis), capturados acidentalmente por pescadores entre 2004 e 2007 na costa de São Paulo, Paraná e Santa Catarina.

Pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP), da Universidade Estadual de São Paulo (Unesp) e da Universidade Federal do Rio Grande (Furg-RS) fizeram a descoberta após analisar a gordura dos animais. Encontraram também altas taxas de pesticidas organoclorados como DDT – usado em plantações do Vale do Ribeira até 1997 – e PCB (bifenilpoliclorado ou ascaréis), também proibido desde 1981, proveniente, por exemplo, de indústrias de transformadores na baixada santista.

O trabalho, publicado na edição deste mês da revista Chemosfere, mostra que a concentração dessas substâncias não chega a ser maior que a observada em outros cetáceos de áreas mais poluídas, como a costa japonesa e a costa leste dos EUA.


Para continuar lendo clique aqui

Campanha em defesa dos manguezais tem apoio da Rádio Eldorado

Ação 'Mangue Faz a Diferença' luta contra as alterações do Código Florestal que podem comprometer os mangues do País


Estadão.com.br
15 de fevereiro de 2012













A campanha 'Mangue Faz a Diferença' tem com objetivo alertar a população sobre o impacto das alterações do Código Florestal que podem ocorrer nos manguezais do País.
Criada em parceria com dezenas de organizações da sociedade civil, entre elas a Rádio Eldorado, a iniciativa vai contra o projeto de lei aprovado na Câmara dos Deputados e o substitutivo do Senado, que atingiria diretamente os ecossistemas costeiros e estuarinos brasileiros.
A hashtag #manguefazdiferenca está sendo divulgada para mobilizar as pessoas a participarem da campanha ao mesmo tempo em que manifestações estão sendo planejadas para ocorrer em praias de doze estados e também um ato em Brasília, que deve ser realizado em março.

Mais informações no site: www.manguefazadiferenca.org.br

Transparência é o primeiro passo para barrar corrupção'

Ministra diz que pretende estender a reorganização dos setores de precatórios ao maior número de tribunais possível



MARIÂNGELA GALLUCCI / BRASÍLIA - O Estado de S.Paulo
12 de fevereiro de 2012

Aliviada após o Supremo Tribunal Federal ter-lhe devolvido os poderes de investigação de juízes e de tribunais dos Estados, a corregedora do CNJ, Eliana Calmon, faz planos de estender a outros tribunais o trabalho de reorganização dos setores de precatórios, com o objetivo de garantir os pagamentos e impedir a corrupção.
Como é o trabalho de reestruturação dos setores de precatórios feito pela corregedoria?
Organizamos os setores dos tribunais e ensinamos aos funcionários como lidar com precatórios. O que verificamos é que até os próprios presidentes de tribunais tinham dificuldades em se inteirar sobre o que estava acontecendo no setor de precatórios.
A reestruturação afasta os riscos de desvio?
Com a reestruturação, a possibilidade de irregularidades é muito pequena. A transparência é o primeiro passo para barrar a corrupção.
A corregedoria encontrou suspeita de corrupção em algum TJ?

Para continuar lendo clique aqui

TJ-SP adia pela 5ª vez julgamento de recurso de ex-primeira-dama de Campinas

Processo foi "retirado de pauta" segundo informação do site do tribunal


25/11/2011
Da redação



O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) adiou, pela quinta vez, o julgamento do pedido de habeas corpus da ex-primeira-dama e ex-chefe de Gabinete de Campinas, Rosely Nassim Jorge Santos (foto abaixo). A audiência estava marcada para esta quinta-feira (10) na 15ª Câmara de Direito Criminal. A liminar impediu que a ex-primeira-dama fosse presa durante as investigações pelo Ministério Público (MP), no primeiro semestre deste ano, em que ela foi apontada como chefe de quadrilha que fraudava licitações. Segundo o TJ, o motivo do adiamento foi porque o processo foi “retirado de pauta e diante da redistribuição, o processo não se encontra em ‘mesa’ para julgamento”.

Um novo julgamento ainda não tem data definida. Os desembargadores que devem julgar o mérito do habeas corpus são Poças Leitão (relator), J. Martins e Miguel Marques e Silva.

O pedido preventivo foi obtido junto ao TJ-SP no dia 9 de maio pelo advogado Eduardo Carnelós, que representa o prefeito cassado Hélio de Oliveira Santos (PDT) e a ex-primeira dama. Rosely é apontada pelo MP como coordenadora do esquema. O advogado pediu na liminar que as investigações fossem canceladas, argumentando que o objetivo seria investigar o prefeito, o que não seria de competência da Promotoria. No mesmo pedido de habeas corpus solicitava que nenhuma medida coercitiva, como mandados de prisão, fossem expedidos contra Rosely.

Fonte: EPTV Campinas

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Crise e falta de investimentos sucateiam ARs de Campinas - SP

A falta de investimento e a utilização da máquina pública para interesses políticos provocaram um cenário grave de degradação nas ARs

Luciana Félix e Natan Dias/AAN
08/01/2012
Agência Anhanguera de Notícias
















A falta de investimento e a utilização da máquina pública para interesses políticos provocaram um cenário grave de degradação nas Administrações Regionais (ARs) espalhadas pelos quatro cantos de Campinas. O caos é agravado atualmente pela crise política campineira. Esquecidas há décadas e, desde 2006 em estado falimentar, os núcleos que deveriam servir para o atendimento da população no que se refere a demanda de serviços públicos, nada mais são atualmente do que cabides de empregos.
A reportagem do Correio visitou anteontem as 14 ARs e as encontrou, com exceção da AR-1, mergulhadas em um cenário de abandono que preocupa tanto os servidores quanto a população, que convive com os problemas sem solução.


Para continuar lendo esta matéria clique aqui

Faltam 2,5 mil lixeiras no Centro de Campinas - SP

Campanha emergencial de dezembro apenas atenuou drama enfrentado pelos campineiros


Inaê Miranda

DA AGENCIA ANHANGUERA

15/01/2012


Quem anda pelas principais ruas e avenidas de Campinas, muitas vezes, é obrigado a levar lixo para casa. A falta de lixeiras é um problema antigo da cidade, que parece está longe de ser resolvido.
Apenas na região do Centro expandido — que compreende bairros como Cambuí, Vila Industrial, Botafogo, Proença e Guanabara — o déficit é de 2,5 mil lixeiras púbicas, segundo levantamento da Secretaria de Serviços Públicos.
No finalzinho do ano passado, o Correio Popular foi às ruas para conferir as dificuldades do cidadão.


Tempo de decomposição dos materiais:

Alumínio 200 a 500 anos

Goma de mascar 5 anos

Embalagens longa vida até 100 anos

Embalagens pet mais de 100 anos

Filtros de cigarros 5 anos

Papel e papelão Cerca de 6 meses

Fonte: Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo


Para continuar lendo a matéria clique aqui

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Oito Cidades Ignoram "Selo Verde" Estadual












Segue matéria de 13/2/12 no Jornal Todo Dia sobre os municípios que não receberão recursos por não enviarem propostas à Secretaria Estadual de Meio Ambiente.

Campinas não participa por falta de condições, veja vídeo (de Dezembro de 2009):


Vídeo-Antepenultimo Lugar (Com o ex.secretário Paulo Sérgio e José Hamílton Aguirre Júnior)

Movimento Resgate o Cambuí



RANKING AMBIENTAL
Oito cidades ignoram ‘selo verde’ estadual
Municípios não enviaram propostas e por isso não terão certificação e nem receberão recursos de fundo

MICHELLE PORTELA - REGIÃO



















Tratamento de esgoto é um dos itens avaliados pelo programa
Oito municípios da RMC (Região Metropolitana de Campinas) não apresentaram seus planos de gestão ambiental à Secretaria Estadual de Meio Ambiente e não receberão neste ano o “selo verde” emitido pelo Programa Verde Azul. Com isso, as cidades estão impedidas de ter acesso ao Fecop (Fundo Estadual de Prevenção e Controle da Poluição).
Campinas, Engenheiro Coelho, Holambra, Nova Odessa, Pedreira, Santo Antônio de Posse, Valinhos e Artur Nogueira estão fora da competição que publica um ranking ambiental e concede o “selo verde” às cidades mais bem avaliadas pelo programa a partir de dez diretrizes.
Ano passado, estas cidades já foram mal avaliadas também por dificuldades na entrega dos planos, porém, somaram pontos porque têm alguma estrutura de gestão ambiental, como secretarias e outros órgãos.
Dos 645 municípios do Estado avaliados pelo Programa Município Verde Azul ano passado, por exemplo, Campinas foi a terceira pior cidade no ranking, somando 5,6 pontos. No ano anterior, nem chegou a participar. A justificativa da Prefeitura de Campinas para o mau desempenho é que a equipe da recém criada Secretaria de Meio Ambiente, com pouco mais de um ano, não teve tempo de preparar o documento com segurança por conta da crise política instalada na cidade.
Engenheiro Coelho ficou na 426ª posição, com 42,7 pontos, no ano passado, mas também não participou um ano antes. De acordo com secretário Gesiel Pereira, diretor de Meio Ambiente da Prefeitura de Engenheiro Coelho, somente agora o município está “se desenvolvendo na questão ambiental”.
“A diretoria é bem recente e ainda não é a prioridade da cidade, que não tem nenhuma secretaria, por exemplo”, avalia.

EMBRIONÁRIO

Procuradas pelo TodoDia, as assessorias de imprensa das prefeituras das cidades que não entregaram o plano alegaram o processo embrionário de gestão ambiental como a principal dificuldade para participar do programa.
De acordo com o coordenador estadual do Município Verde Azul, Paulo Adad, o programa não visa prejudicar os municípios, mas incentivar a promoção da política ambiental com ações locais. “Os municípios que recebem a certificação passam a ter mais credibilidade. São prioritários, por exemplo, no acesso ao Fecop. Como nosso objetivo é expandir os benefícios do prêmio, a tendência é que outros financiamentos do Estado adotem selo verde.”
As dez diretrizes do Município Verde Azul são esgoto tratado, lixo mínimo, recuperação da mata ciliar, arborização urbana, educação ambiental, habitação sustentável, uso da água, poluição do ar, estrutura ambiental e Conselho de Meio Ambiente, por meio das quais os municípios devem concentrar os seus esforços na construção de uma agenda ambiental efetiva.


http://portal.tododia.uol.com.br/?TodoDia=cidades&Materia=646221

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

"Incansáveis Plantadores" do bairro Cambuí em Campinas - SP












Divulgação de parte dos trabalhos executados pela equipe dos "Incansáveis plantadores"
Já foram plantadas 190 árvores, com novos canteiros e orientação técnica. Em Campinas, bairro Cambuí.
Agora entraremos numa nova fase, nos estruturando melhor , com novos projetos, sem deixar de plantar muitas árvores .

Movimento Resgate o Cambuí



a equipe planta....


Capina.....



Faz o canteiro.......


E rega as novas mudas.....


E encanta com o resultado..... A mesma árvore da foto anterior um ano depois....



VÍDEOS "Incansáveis plantadores"

Vídeo 1

Vídeo 2

...Suster vem do latim sustinere, segurar, por cima; suportar, por baixo;
fortalecer o espírito, de confirmar (MACHADO, 2003). O que é sustentável é aquilo que possui suporte...

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Precariedade assola bairro ao lado do Alphaville em Campinas

Falta de rede de esgoto e de asfalto causam transtornos à população do Parque dos Pomares, que cobra providências

31/01/2012


População do bairro convive com esgoto a céu aberto
(Foto: Carlos de Sousa Ramos/AAN )


A falta de rede de esgoto e de asfalto revela a situação de abandono vivida pelo Parque dos Pomares, bairro da região Leste de Campinas localizado a sudoeste do Alphaville, um condomínio de alto padrão. Na região, o asfalto acaba onde começa a entrada do bairro, até a Rua 81. A partir da via principal, a Avenida Dr. Walmor Largura, não há mais pavimentação.

Em dias de chuva, a situação piora, segundo moradores. “Nem tatu com chuteira no pé consegue passar pelas ruas em dia de barro”, disse o morador e comerciante Flávio César Barbosa Andrade, de 42 anos. Flávio mora no bairro há oito anos e reclama também da falta de manutenção no bairro. “Nosso bairro é rodeado pela burguesia, mas abandonado pela Prefeitura. Não entendemos as diferenças.”


Ver matéria completa aqui

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Denúncia de Podas Irregulares na Cidade de Campinas












Segue denúncia recebida , feita por morador indignado com o fato da EMDEC realizar podas.
Como se não bastassem as podas executadas pelo DPJ e pela CPFL, agora teremos também as podas executadas pela EMDEC ?????


Dia 30/01/12
Local : Av. Júlio de Mesquita esquina com Av.Cel. Silva Telles.
Fato : Emdec faz podas de árvores sem laudo e sem orientação técnica.
Motivo alegado : visualização do semáforo.....

Seguem as fotos e os vídeos:



Caminhão do DPJ , funcionários da prefeitura e Colepav e EMDEC.


Caminhão do DPJ , funcionários da prefeitura e Colepav e EMDEC.


Caminhão do DPJ , funcionários da prefeitura e Colepav e EMDEC.


Rua Irmãos Bierrembach quase esquina com Av. Júlio de Mesquita


Rua Irmãos Bierrembach quase esquina com Av. Júlio de Mesquita


Rua Irmãos Bierrembach quase esquina com Av. Júlio de Mesquita








Movimento Resgate o Cambuí