terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Jovem é 'engolido' por cratera em calçada de Campinas

O jovem, que ia para uma entrevista, sofreu lesões leves na cabeça e pernas e foi resgatado por um amigo

16/01/2012




Um rapaz de 24 anos foi “engolido” por um buraco de cerca de três metros de profundidade que se abriu repentinamente na calçada da Avenida Ayrton Senna da Silva, próximo ao Estádio da Ponte Preta, no Jardim Proença, em Campinas, na manhã de segunda-feira (16). O jovem sofreu lesões leves na cabeça e pernas, foi resgatado por um amigo e recusou ser levado para uma unidade médica pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Ele seguia para uma entrevista de emprego nas imediações. No local passa uma galeria de águas pluviais. A Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) isolou a área e, segunda-feira à tarde, a Prefeitura enviou uma equipe para fazer os reparos. Segundo moradores, muitos idosos fazem caminhada pelo local.

Ver matéria completa aqui

Temporal atinge Campinas; alagamentos e falta de energia

Pelo boletim do Cepagri, os temporais que atingem a cidade nesta tarde podem voltar na terça-feira

09/01/2012



Campinas registra forte chuva, com rajadas de vento, na tarde desta segunda-feira (9). Há informações de pontos de alagamento na avenida Moraes Sales e na Princesa d´Oeste próximo a BAC Veículos. Na Coronel Quirino um galho de árvore atingiu a fiação e acabou derrubando o poste. A via está com uma faixa, próximo do início da Aquidabã, interditada ao fluxo de veículos.
Além da Coronel Quirino, segundo o Cimcamp, também caíram árvores na avenida da Saudade, na Francisco Glicério e na avenida Abolição. Na avenida Francisco Glicério uma árvore atingiu um táxi. Não há informações sobre vítimas.

Ver matéria completa aqui

Limpeza do Taquaral espera por verba para continuar

A draga que realizava o desassoreamento da Lagoa do Taquaral foi retirada da água da lagoa principal na manhã de terça-feira

10/01/2012


Draga foi retirada na manhã desta terça-feira


A draga que realizava o desassoreamento da Lagoa do Taquaral foi retirada da água da lagoa principal na manhã de terça-feira (10). A máquina, assim como todos os equipamentos para o trabalho de limpeza dos sedimentos da água, foi retirada porque a primeira etapa do projeto foi terminada. De acordo com o diretor do Departamento de Parques e Jardins (DPJ), Edson Roberto Navarrete, 20% do cronograma — composto por cinco etapas — foi finalizado. Segundo ele, a Prefeitura aguarda a aprovação da segunda fase pelo Consórcio das Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ) e a liberação de recursos para a continuidade.
Nesta primeira etapa, a obra custou R$ 3,05 milhões e os recursos vieram da cobrança federal pelo uso da água das bacias do PCJ e do Conselho Nacional de Defesa Ambiental (CNDA), uma sociedade civil de interesse público. Navarrete informou que todo o projeto prevê a retirada de 25 mil metros cúbicos de sedimentos secos. “Nesta primeira fase, foram retirados 5 mil metros cúbicos de sedimentos secos, o que equivale a 25 mil metros cúbicos de sedimentos úmidos”. O diretor explicou também que a retirada dos equipamentos na primeira etapa está prevista em contrato feito entre a Prefeitura e o Consórcio PCJ.

Ver matéria aqui

Convivência reabre lotado, com goteiras e desconfiança

O Corpo de Bombeiros não emitiu uma autorização para que o espaço pudesse ser reaberto, dado os riscos que apresenta

10/01/2012 - 21h00



O Teatro Luís Otávio Burnier, no Centro de Convivência Cultural (CCC), em Campinas, foi reaberto na noite desta terça-feira (10) com goteiras (que ajudantes de limpeza não davam conta de secar), o público preocupado com as questões de segurança (que fizeram o teatro ser lacrado há menos de um mês), a casa lotada e a secretária de Serviços Públicos da prefeitura, Elvia Maria Fernandes Brito, afirmando que 'um imprevisto só poderia acontecer se houvesse uma sabotagem, um caso de polícia'.
Entretanto, o Corpo de Bombeiros não emitiu uma autorização para que o espaço pudesse ser reaberto, dado os riscos que apresenta, segundo o laudo da corporação.

Ver matéria completa aqui

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Plantio no Bairro Cambuí em Campinas












No dia 28/01/2012 foram plantadas mais 9 árvores no bairro Cambuí em Campinas, de um total de 190 plantadas nos 4 últimos anos.Plantios esses cada vez mais frequentes.
Parece pouco?
Não é pouco, pois é feito por cidadãos moradores ou não do bairro Cambuí ,com planejamento técnico e organização do Movimento Resgate o Cambuí.O poder público além de não colaborar, não cuida e nem planta nenhuma árvore.Apenas poda e extrai......
Pela lei nº 11.571/03 a prefeitura deveria ter feito um inventário por amostragem da arborização urbana , e nada fêz....
O único levantamento feito em Campinas, em 2007 no bairro Cambuí , por José Hamilton Aguirre (http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11136/tde-18112008-135314/pt-br.php ) constatou 2087 plantas de calçadas (nem todas eram árvores).Precísaríamos ter mais de 8.000 árvores de calçada APENAS no Cambuí.



Chegam as pessoas e o material


Todos trabalham


Plantando em conjunto


Capina,


limpa e recolhe o lixo


e refaz a calçada..........UFA.............


Plantios pelo Youtube:











Movimento Resgate o Cambuí

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Cratera isola bairro e tira criança da escola

Buraco chega a 2 metros de comprimento em via do Satélite Íris, impedindo até perua escolar de chegar às casas

Inaê Miranda
22/01/2012


O menino David Menezes dos Santos, de 4 anos, olha cratera que impede
a perua escolar de chegar à sua casa para levá-lo para a creche
(Foto: César Rodrigues/AAN)



Uma cratera de mais de dois metros de comprimento dificulta a vida dos moradores da Rua Nivaldo Alves Bonilha, no Jardim Satélite Íris I, região Noroeste de Campinas. Já sem infraestrutura básica, eles viram a situação piorar, em dezembro, com a chegada das chuvas. Por causa da erosão, a rua ficou intransitável e serviços básicos de coleta de lixo e entrega de gás não chegam ao local. Um garoto de 4 anos precisou ser tirado da creche porque a perua escolar não consegue chegar até sua casa.
O cenário parece de guerra. Os buracos tomaram conta da rua do começo ao fim e, no centro, uma cratera de mais de dois metros aumenta de tamanho todas as vezes que chove. Uma das preocupações dos moradores é com o risco de dengue em função da água que tem se acumulado nos buracos. “A água fica empoçada direto e não passa ninguém aqui para resolver essa situação”, afirma a empregada doméstica Nícia Menezes dos Santos.
Por causa dos buracos, o pequeno David Menezes dos Santos, de 4 anos, filho de Nícia, deixou de ir à creche no ano passado. “O motorista do transporte escolar me falou que não ia poder mais passar aqui na rua porque ele estava correndo risco de cair no buraco.Como eu não tenho como levá-lo à escolinha porque trabalho longe, e também não tenho quem o leve, precisei tirá-lo da escola. Desde o ano passado, ele fica só dentro de casa.”
Serviços básicos e essenciais como a coleta de lixo praticamente não funcionam. Caminhões, ônibus ou carros de passeio não conseguem acessar a rua já faz algum tempo. Quem se arrisca, normalmente, fica preso nos buracos, segundo os moradores.
Os botijões de gás ou garrafões de água mineral precisam ser carregados nas costas. O acúmulo de lixo nas portas tem sido frequente. “De vez em quando, os lixeiros vêm a pé e recolhem o lixo, mas não adianta muito porque não é sempre que eles passam”, diz.
Há pouco tempo, a mãe da estudante Daniela Almeida Franco, de 19 anos, caiu em um dos buracos e quebrou o braço.”É horrível ter que enfrentar essa buraqueira todo dia. Perua escolar não entra, carro e ônibus não passam. É muito ruim e as outras ruas do bairro não fogem muito disso”, afirma.
O coordenador de Administrações Regionais, João Batista de Toledo Guedes, informou por meio da assessoria de imprensa que tem conhecimento dos problemas da rua, mas não da cratera que se aprofundou nos últimos dois meses. Informou ainda que o período de chuva dificulta as obras no local, mas que na segunda-feira, pretende enviar uma equipe técnica para analisar as condições da rua e encontrar uma solução para amenizar os problemas.

Veja matéria aqui

Acesso precário deixa bairro sem ambulância

Moradores do Jardim Novo Itaguaçu, na região Sudoeste de Campinas, vivem em local afastado e sem estrutura

24/01/2012

Moradores do Jardim Novo Itaguaçu, na região Sudoeste de Campinas, vivem um verdadeiro drama. O bairro afastado e aparentemente abandonado está próximo do Aeroporto Internacional de Viracopos e não oferece a mínima infraestrutura a seus habitantes. Para piorar a situação, quando vêm as chuvas, as ruas de terra ficam intransitáveis. Passar pela única via que dá acesso ao bairro, que fica em um aclive, se torna impossível. Cerca de 5 mil famílias vivem na região.

A doméstica Nilda Vieira dos Santos, de 34 anos, mora com o marido e quatro filhos em uma das últimas ruas do Itaguaçu. Como não existem linhas de ônibus, ela precisa caminhar cerca de 30 minutos todos os dias até a Rodovia Anhanguera para conseguir pegar um circular. No período de férias Nilva ainda leva o filho mais novo, de apenas dois anos, que também tem de encarar as ruas barrentas e esburacadas do bairro. Ela conta que o marido possui um veículo, mas que fica na garagem. “Quando chove não tem como sair de carro.”

A dona de casa Cláudia Rodrigues da Silva, de 29 anos, que mora há oito no Novo Itaguaçu, aponta ainda mais problemas. “Quando fica doente aqui é complicado, ambulância não entra se estiver chovendo”, afirmou. “Se cair chuva, quem está lá fora do bairro não entra e quem está aqui não sai.”

Os caminhões de lixo também não estariam passando há um mês pelo bairro. “A última vez que o lixeiro passou foi no Natal”, disse Cláudia. Para evitar acúmulo de sacos na porta das casas, os moradores estão queimando o lixo. A dona de casa relatou que já ligou na Prefeitura inúmeras vezes pedindo um apoio emergencial, mas nunca foi atendida. “A gente queria que jogassem cascalho pelo menos na rua principal, não precisa ser no bairro todo”, pediu.

O pintor Ronaldo da Rocha Machado, de 52 anos, mora com a família em uma casa do Novo Itaguaçu e afirma que a chuva isola o bairro. “Não temos para onde correr quando começa a chuva.”

Devido às inúmeras promessas de desapropriação da área, e das incertezas que cercam o bairro, as casas são alugadas por até R$ 200,00. Com as chuvas intensas das últimas semanas e com a previsão nada animadora, que promete ainda mais chuvas até o final de fevereiro, os moradores da região imploram por ajuda da Administração.

Na segunda-feira passada, uma chuva leve que atingiu o bairro já foi suficiente para deixar as ruas intransitáveis. Os carros que se arriscavam deslizavam sem controle pelas vias e alguns chegaram a atolar. Um motociclista tentou subir a via que dá acesso ao bairro, mas caiu duas vezes.

A Prefeitura de Campinas informou que uma licitação para contratação de maquinário foi aberta e a previsão é de que entre 15 e 20 dias a Administração Regional 6 tenha condições de realizar os serviços necessários nas ruas, que já estariam, inclusive, previstos no cronograma da AR. No entanto, a execução dos serviços depende das condições climáticas, já que a chuva atrapalha a colocação de cascalhos nas ruas, informou a Prefeitura.

Mais problemas
A Prefeitura confirmou que as condições das ruas interferiram na coleta de lixo e os caminhões que faziam o serviço no bairro não estão circulando porque o trecho de itinerário esta crítico. A Administração Municipal informou que é necessário que a população verifique os trechos onde há coleta e levar o lixo até os caminhões, até que a AR melhore as condições das vias.

Sobre a desapropriação da área, a Administração informou que trabalha como se o local não fosse ser desapropriado, e irá continuar as melhorias na infraestrutura do bairro. A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) confirmou que o Novo Itaguaçu está na área que será desapropriada para a expansão do aeroporto de Viracopos.

Continue lendo aqui.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Departamento de Parques e Jardins Obsoleto e incompetente



Novamente uma árvore cai em Campinas e novamente constatamos o descaso do poder público, principalmente do Departamento de Parques e Jardins. A árvore que caiu na Rua dos Alecrins (materias abaixo) foi catalogada pelo José Hamilton Aguirre em 2007 e está no site www.resgatecambui.org.br , e tem fotos tambem abaixo. O registro consta no link, setor 3 quarteirão 5A arvore 2.

Os dados são :


Altura: 14,00m
Estado geral: Regular
Árvore com orelha de pau
Sofreu poda rebaixamento
Recomenda-se ampliar o canteiro e avaliar a substituição

Data: 05/10/2007








Esses dados nos mostram o total despreparo e desrespeito do Departamento de Parques e Jardins para com as árvores e as pessoas pois o acidente poderia ter sido pior.
Segundo matéria do Correio Popular (anexo doc 1) a administração informa que o Departamento de Parques e Jardins havia inspecionado a árvore e que ela estava com APARÊNCIA SAUDÁVEL....
Outro grave problema dessa administração são as podas e extrações http://www.campinas.sp.gov.br/noticias-integra.php?id=11114 , que somaram 6260 e 370 respectivamentes em 2011 e NENHUMA árvore nova foi plantada.

O Movimento Resgate o Cambuí além de colaborar com os cidadãos em plantios pelo bairro, também esta promovendo um novo levantamento para atualização dos registros. E está sendo constatado um número bastante inferior de árvores no bairro, mesmo com o plantio de 190 árvores pelos moradores sempre assessorados por técnicos competentes.


"Jamais mudaremos algo combatendo o existente.
Para mudar alguma coisa há que criar um novo modelo que torne o existente obsoleto" (Buckminster Fuller)


CIDADES CORREIO POPULAR A7
Campinas, terça-feira, 24 de janeiro de 2012

...A Administração informou que o Departamento de Parque e Jardins já havia inspecionado a árvore e ela estava com aparência saudável.
Informou também que o problemafoi um bicho chamado bloco de raiz que costuma formar buracos no interior do caule e da raiz, o que acabou enganando os técnicos na última avaliação feita. ...

(Luciana Félix/Da Agência Anhanguera


Árvore atinge motociclista em Campinas




materia RAC

http://www.rac.com.br/noticias/campinas-e-rmc/114375/2012/01/23/arvore-cai-e-atinge-motociclista-no-cambui.html

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

População se mobiliza e realiza mutirão.

Mutirão para plantio de árvores em Campinas-bairro Cambuí-22/1/12

Seguem algumas fotos e vídeos no Youtube ,do mutirão para plantar árvores dia 22/1/12.
Foram plantadas 15 árvores em canteiros de 2 x 1 ms com acabamento de grama amendoim.
Os cidadãos estão fazendo o trabalho que deveria ser feito pela prefeitura.Esse é o lado ruim.
O lado bom é a participação ativa dos cidadãos.

"QUANTO MENOS O PODER PÚBLICO FAZ, MAIS A SOCIEDADE SE ORGANIZA"





















Gestão improvisada do subsolo, bueiros pelos ares

23/11/11

Nos últimos dias, três bueiros pegaram fogo em São Paulo, o último foi no Largo São Bento, no centro, os demais foram na Avenida Paulista e na Angélica. A instalação das redes de fiação subterrânea, assim como de outras redes, como água, esgoto e gás, em toda a cidade, é uma verdadeira gambiarra, cheia de puxadinhos.
A maneira correta de organizar essa fiação seria com galerias técnicas subterrâneas, que são uma espécia de mini-prédio no subsolo, em que cada andar é ocupado por uma concessionária.


Para continuar lendo acesse o site:

http://raquelrolnik.wordpress.com/2011/11/23/gestao-improvisada-do-subsolo-bueiros-pelos-ares/

Centro Histórico ganhará fiação subterrânea













[10/06/2010]

O Programa Monumenta, está desenvolvendo projetos para modificar e embelezar o Centro Histórico de São Francisco do Sul. Trabalhando na área Tombada pelo IPHAN. Já executou obras de restauração em monumentos históricos do município como: Igreja Matriz Nossa Senhora da Graça, Mercado Público Municipal, Museu Histórico, Museu Nacional do Mar, Terminal Turístico Naval, além da revitalização de toda a Orla do Centro Histórico, praças e logradouros da área de interesse.
Entre os projetos que estão sendo coordenados pelo Monumenta está o da fiação elétrica subterrânea, um moderno projeto ligado ao PACH (Plano de Ação de Cidades Históricas), que elimina todos os postes com fiação de telefone e energia elétrica e, substituindo-os por cabos que passam por baixo do solo, para dar maior destaque à arquitetura e aos monumentos situados no centro histórico. 'O objetivo do projeto é diminuir a poluição visual e destinar destaque aos traços dos colonizadores de São Francisco do Sul', afirmou Roberta Cristina Silva Pauli, arquiteta e coordenadora do Projeto Monumenta da cidade.
Além da vantagem estética, da limpeza visual do local e a valorização do patrimônio, este projeto irá diminuir os custos com a manutenção da rede elétrica, bem como melhorar a continuidade no fornecimento. Garantirá uma maior segurança, visto que não estará sujeita a curtos circuitos causados por ventos, vegetação, entre outros.
De acordo com o Prefeito Luiz Roberto de Oliveira, 'a fiação subterrânea trará muitos benefícios para a cidade'. Em entrevista ao informativo municipal da Prefeitura de São Francisco do Sul, Roberta Pauli afirmou que 'a fiação subterrânea já está contemplada e está em fase de finalização do projeto. Após a entrega do projeto, as obras iniciarão. A intenção é que as obras iniciem ainda no segundo semestre de 2010', comentou.


Fonte: PMSFS - Assessoria de Imprensa

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Cidade promove apagão para ver estrelas

Dulverton conseguiu reunir moradores na rua principal para apagar as luzes e diminuir poluição visual.

Acesse o víde no site: http://www.youtube.com/watch?v=7l8oAP7gwZs

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Destruição em Campinas

As árvores de Campinas estão sendo destruidas pela CPFL , devido a fiação obsoleta.
Onde está o órgão fiscalizador da cidade? Está sendo usado como cabo eleitoral.

Conferências do Estoril 2011 - Mia Couto

As Conferências do Estoril têm como objectivo criar um pólo de reflexão de nível internacional sobre os desafios da globalização, com particular atenção à relação entre os domínios global e local.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

O Buraco no Muro

Transparência e Controle Social

Conferência Virtual Paulista sobre Transparência e Controle Social

Objetivo e Funcionamento

A Conferência Virtual Paulista sobre Transparência e Controle Social tem como objetivo principal ser um canal direto que garanta a todo cidadão do Estado de São Paulo a participação e a manifestação de ideias e de opiniões relativas à temática de transparência e controle social. Dessa forma, você, cidadão, poderá apresentar até cinco Diretrizes/Propostas em cada um dos quatro eixos temáticos:

* Eixo 1: Promoção da transparência pública e acesso à informação e a dados públicos;
* Eixo 2: Mecanismos de controle social, engajamento e capacitação da sociedade para o controle da gestão pública;
* Eixo 3: A atuação dos conselhos de políticas públicas como instâncias de controle;
* Eixo 4: Diretrizes para a prevenção e combate à corrupção.

A Conferência Virtual Paulista ocorrerá entre os dias 23 de janeiro e 06 de fevereiro de 2012. Nesse período, qualquer pessoa poderá entrar no espaço criado no site, apresentar suas propostas/diretrizes e contribuir para o aumento da transparência e do controle social.

Suas Diretrizes/Propostas serão sistematizadas pela Coordenação Executiva Estadual da Consocial - SP. Posteriormente, 20 dessas Diretrizes/Propostas serão escolhidas por um grupo formado dentre os membros da Comissão Organizadora Estadual e serão levadas em um caderno específico para a Conferência Estadual de Transparência e Controle Social.

Conceito chave: Diretrizes/Propostas

Entende-se Diretriz/Proposta como um conjunto de indicações que irão subsidiar a construção de um plano que oriente o desenvolvimento de uma plataforma para garantir o acompanhamento e o controle da gestão pública. Devem apontar para o futuro, norteando as ações a serem realizadas. A Diretriz/Proposta deve ser escrita de forma direta, clara, contendo uma única ideia, pois assim será mais facilmente sistematizada e unificada com outras Diretrizes/Propostas.

Calendário

Chat/debate com membros da COE:

10.01.2012: Palestra pela Twitcam, com interação, sobre o Eixo 1 da Consocial;
12.01.2012: Palestra pela Twitcam, com interação, sobre o Eixo 2 da Consocial;
17.01.2012: Palestra pela Twitcam, com interação, sobre o Eixo 3 da Consocial;
19.01.2012: Palestra pela Twitcam, com interação, sobre o Eixo 4 da Consocial;

Etapas preparatórias virtuais:

05.01.2011 a 06.02.2012: Divulgação da Etapa Virtual;
23.01.2012 a 06.02.2012: Realização da Etapa Virtual;
07.02.2012 a 28.02.2012: Sistematização da Etapa Virtual;
01.03.2012: Priorização das Diretrizes/Propostas sistematizadas;
02.03.2012 a 09.03.2012: Elaboração do caderno de Diretrizes/Propostas da Etapa Virtual.
Acesse o Formulário para envio de Diretrizes/Propostas para a Conferência Virtual Paulista sobre Transparência e Controle Social.

Maiores informações acesse o site: http://www.consocial.sp.gov.br/

Siga no twitter: https://twitter.com/consocialsp

ENTRE RIOS - documentário

Um excelente documentário sobre a urbanização de São Paulo, com um enfoque
geográfico-histórico.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

EUA suspendem importação de suco de laranja

Americanos alegam presença de fungicida proibido no suco de laranja brasileiro

O Estado de S. Paulo
11 de janeiro de 2012


NOVA YORK - O governo dos Estados Unidos suspendeu ontem as importações de suco de laranja do Brasil e outros países por conta da presença de um fungicida na bebida que é proibido no mercado americano. A suspensão foi decidida pela Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA, na sigla em inglês), segundo informações da agência de notícias ‘Bloomberg’.
O governo brasileiro foi pego de surpresa pela notícia, mas o ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro, prometeu que vai mostrar que a situação do suco exportado é regular. "O que os Estados Unidos dizem da laranja, os russos dizem da carne", argumentou. Ao embargarem a compra de carnes brasileiras em junho do ano passado, os russos alegaram que o produto brasileiro não apresentava todas as especificações necessárias para entrar naquele país.


A matéria completa encontra-se no site:

http://economia.estadao.com.br/noticias/negocios+agronegocio,eua-suspendem-importacao-de-suco-de-laranja,99123,0.htm

Metade das árvores dos Jardins está sufocada

Estudo inédito do IPT mostra que lixeiras, muretas e até guaritas bloqueiam o desenvolvimento de mais de mil espécies encontradas no bairro.

O Estado de S.Paulo - Adriana Ferraz
07 de janeiro de 2012


Até em uma das regiões mais verdes de São Paulo, as árvores sofrem para conseguir espaço. Segundo diagnóstico inédito realizado nos Jardins, zona sul, metade das 2,2 mil espécies plantadas nas ruas do bairro está sufocada por alguma barreira física, como um canteiro de cimento, lixeira, banca de jornal ou mesmo uma guarita de segurança. E três em cada dez já destruíram as calçadas.

Os dados estão em um estudo em desenvolvimento pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) e pela associação AME Jardins, cujo objetivo é listar quantas e quais árvores do bairro correm risco de cair. O investimento, de R$ 500 mil, é da AES Eletropaulo, que visa a reduzir o número de interrupções de energia elétrica em função da queda de galhos de árvores em sua rede - hoje, 56% dos casos ocorrem por esse motivo.

O diagnóstico, almejado por moradores dos Jardins desde 2006, ocorre no quadrilátero formado pelas Avenidas Brasil, 9 de Julho, Brigadeiro Faria Lima e Rebouças. A região é considerada o "ar-condicionado" natural da cidade, ao lado do Parque do Ibirapuera.

O estudo foi dividido em duas etapas. Na primeira, todas as árvores foram analisadas externamente. "Fizemos a medição de cada uma delas, depois procuramos identificar a presença de cupins, de fungos e de interferências artificiais, como espelhos, fios e pregos. Na segunda etapa, vamos usar aparelhos não destrutivos, como tomógrafos, para fotografar as árvores por dentro", diz o Sérgio Brazolin, pesquisador do IPT.

A previsão é finalizar a pesquisa até o fim de junho e entregá-la à Prefeitura para que seja usada como base no programa municipal de arborização.

Segundo o engenheiro agrônomo Luiz Gustavo Ripani, da Eletropaulo, a realidade dos Jardins - bairro tombado pelo Conselho Estadual de Defesa do Patrimônio Histórico (Condephaat) por manter espécies centenárias - é semelhante às condições encontradas em Pinheiros, Pacaembu e Morumbi.

"De maneira geral, os resultados obtidos são ruins. Já constatamos 33 árvores com risco de queda, das quais sete estão mortas. Esse número, no entanto, deve ser maior porque até agora foi feita apenas a avaliação externa", diz Ripani. Segundo o engenheiro, os problemas são reflexo da falta de planejamento no plantio e do pouco conhecimento da população sobre manutenção.

Erros. As espécies mais comuns no bairro são jacarandá e tipuana. Na lista dos erros encontrados pelos pesquisadores estão a colocação muito próxima de itens do mobiliário urbano, como postes e lixeiras. Cerca de 15% das unidades diagnosticadas também têm espelhos para ajudar na manobra de carros, placas com propaganda irregular e fiação elétrica, apesar de uma lei municipal proibir essa prática. "O prego, em especial, abre caminho para a entrada de fungos e bactérias que, com o tempo, ajudam a matar uma árvore. Chega a ser pior que o cupim, que, de acordo com a espécie, não provoca danos graves", afirma Ripani.

A matéria encontra-se no site:

http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,metade-das-arvores-dos-jardins-esta-sufocada-,819564,0.htm

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Piores Empresas do Mundo

Ecologistas elegem piores empresas do mundo. Adivinha quem figura entre elas, a brasileiríssima Vale.

Para ler a reportagem completa acesse o site:

http://centrodeestudosambientais.wordpress.com/2012/01/11/piores-empresas-do-mundo-vote-na-sua-favorita-public-eye-awards-amazonia-barclays-belo-monte-capitalismo-davos-economia-empresas-freeport-green-econony-greenwasching-irresponsabilidade/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+Ongcea+%28OngCea%29

Pequim registra recorde da poluição e voos são suspensos

Uma poluição tão forte que não pôde ser medida cobriu a cidade de Pequim na segunda-feira (10) e provocou o atraso ou cancelamento de mais de 150 voos, mas as autoridades locais consideravam a qualidade do ar “boa”.
Segundo o site do aeroporto internacional de Pequim, o segundo mais movimentado do mundo, 155 pousos e decolagens foram adiados ou anulados.
A embaixada dos Estados Unidos, que calcula de maneira independente a qualidade do ar, informou que a poluição na capital chinesa superava na manhã de segunda-feira o nível “perigoso”, o mais grave em seu índice.
A Agência do Meio Ambiente de Pequim considerou “boa” a qualidade do ar da capital, mas as autoridades chinesas são acusadas regularmente de subestimar o risco da poluição.
A nuvem de contaminação, que reduziu consideravelmente a visibilidade, se dissipou em boa parte durante o período da tarde. (Fonte: Portal iG)

http://noticias.ambientebrasil.com.br/clipping/2012/01/11/78850-pequim-registra-recorde-da-poluicao-e-voos-sao-suspensos.html

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

O nó das concessões do setor elétrico

O Estado de S.Paulo
12 de dezembro de 2011


Não são apenas os números, por si sós espantosos, que assustam no caso da indefinição sobre o destino a ser dado às concessões dos serviços de energia elétrica que vencem em 2015. O que mais incomoda os consumidores, os dirigentes das empresas concessionárias e os potenciais investidores é a dificuldade do governo em propor uma solução para um problema conhecido desde 1995 e que, se não for resolvido com presteza, poderá paralisar boa parte do sistema elétrico brasileiro. Isso pioraria as condições do fornecimento de energia. Afinal, as incertezas sobre a situação das atuais concessionárias já impediram soluções de mercado para alguns casos e vêm limitando os investimentos indispensáveis para a manutenção, melhoria e expansão dos serviços.

Para continuar lendo acesse o site:

http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,o-no-das-concessoes-do-setor-
eletrico-,809810,0.htm

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

A Ong Movimento Resgate Cambuí colocou no Youtube a filmagem do evento da Consocial em
Campinas no dia 20/12/11.











Lei fixa a política de mobilidade urbana

A presidente Dilma Rousseff sancionou com vetos a lei nº 12.587/2012, que institui no país as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana. Publicada no DOU (Diário Oficial da União) nesta quarta-feira (04/01), ela enfatiza aspectos ambientais e entrará em vigor no prazo de 100 dias.
A lei é um instrumento da política de desenvolvimento urbano de que tratam o inciso XX do art. 21 e o art. 182 da Constituição Federal, objetivando a integração entre os diferentes modos de transporte e a melhoria da acessibilidade e mobilidade das pessoas e cargas no território do Município.
O texto cria obrigações para a União, Estados e Municípios e tem entre seus parâmetros a “mitigação dos custos ambientais, sociais e econômicos dos deslocamentos de pessoas e cargas na cidade” e o “incentivo ao desenvolvimento científico-tecnológico e ao uso de energias renováveis e menos poluentes”. Prioriza os projetos de transporte público coletivo estruturadores do território e indutores do desenvolvimento urbano integrado.

A reportagem na íntegra encontra-se no site:

http://www.oeco.com.br/br/noticias/25588-lei-fixa-a-politica-de-mobilidade-urbana?utm_source=newsletter_285&utm_medium=email&utm_campaign=hoje-em-o-eco-06-de-janeiro-de-2012

Macacos com parte do corpo amputada voltam à natureza em GO

Quatro exemplares de macaco-guariba (Alouata caraya), também conhecido como bugio, serão reintegrados à natureza neste fim de semana em Aragoiânia (GO), após passarem por reabilitação entre 2010 e 2011, devido a ferimentos causados por choques elétricos de redes de alta tensão.
É a primeira vez que o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama) realiza este tipo de experimento no estado.
Segundo o órgão, ligado ao Ministério do Meio Ambiente, um macaco-guariba macho teve uma das pernas amputadas, enquanto que os outros espécimes (todas fêmeas) tiveram a mão ou parte dela retiradas por conta da gravidade do ferimento.
O instituto afirma que o desenvolvimento urbano da Região Metropolitana de Goiânia começa a afetar o habitat destes animais, que encostam em fios de alta tensão ao pular de galhos.
Apesar da nova realidade, os primatas, que já eram monitorados e conviviam juntos em um ambiente preparado pelos técnicos do Ibama, serão libertados e acompanhados de perto por dez dias por uma equipe de biólogos e estudantes, que vão acompanhar a forma de locomoção dos primatas, como eles se alimentam e defendem o território onde passarão a viver. Após este período, o acompanhamento será mensal.
De acordo com o Instituto Chico Mendes (ICMBio), o macaco-guariba pode ser encontrado na Amazônia, no cerrado e no Pantanal. A espécie não é considerada ameaçada de extinção. (Fonte: Globo Natureza)

Esta reportagem encontra-se no site:

http://noticias.ambientebrasil.com.br/clipping/2012/01/07/78745-macacos-com-parte-do-corpo-amputada-voltam-a-natureza-em-go.html

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

População de Santos faz vídeo como forma de protesto

EMPRESAS TERÃO QUE FAZER CONTABILIDADE AMBIENTAL

JC/RS COLABOROU CONTADOR JOSÉ LUIZ SILVA

Empresas terão de fazer contabilidade ambiental Enquanto as atenções se voltam para a Conferência do Clima, na Dinamarca, a contabilidade avalia de que forma pode contribuir para a preservação do planeta Cristina d’Azevedo Novo conjunto de regras obrigará a informação dos ativos ambientais como a conservação de áreas. Foto: Paulino Menezes/JC Até sexta-feira, negociadores de mais de 190 nações discutem, durante a 15ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP-15), em Copenhague, na Dinamarca, como conciliar interesses de países ricos e nações em desenvolvimento de forma a reduzir a emissão de gases de efeito estufa na atmosfera e frear o aquecimento global e o colapso climático do planeta. Inserida nesse contexto, a contabilidade brasileira estuda a reformulação da Norma Brasileira de Contabilidade NBC T 15, que estabelece a necessidade de divulgação de informações referentes à interação das empresas com o meio ambiente. O objetivo é incluir ativos e passivos ambientais nos balanços das organizações, com o intuito de que elas possam reconhecer, classificar e mensurar seus desempenhos. Constituído pelo Conselho Federal de Contabilidade (CFC), o Grupo de Estudos de Informações de Natureza Ambiental, composto pelas professoras de Ciências Contábeis Aracéli Cristina Ferreira, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); Gardênia Maria Braga de Carvalho, da Universidade Federal do Piauí (UFPI); e Maísa de Souza Ribeiro, da Universidade de São Paulo, Campus de Ribeirão Preto (USP/RP); trabalhou ao longo de oito meses para concluir a proposta que visa a normatizar a maneira como as organizações devem registrar o envolvimento com as questões ambientais. “Afinal, a empresa está inserida na sociedade e faz uso de um meio ambiente que é de todos”, justifica Aracéli. Em julho, a proposta foi discutida em audiência pública durante o Congresso Internacional de Contabilidade Socioambiental, realizado no Rio de Janeiro, ocasião em que o grupo de estudos recebeu sugestões para a reformulação da norma, que será entregue ainda esta semana ao CFC e deverá entrar em vigência a partir de 2011. “A norma foi traduzida para o inglês para que os estrangeiros também pudessem acompanhar a apresentação”, conta a professora da UFRJ. “O objetivo é disciplinar a relação que as empresas têm com o meio ambiente, até para poder comparar organizações do mesmo setor e de segmentos distintos.” Segundo ela, não adianta propagandear que a empresa é socialmente e ambientalmente responsável, sem que essas informações estejam expressas nas suas publicações contábeis. A partir da nova norma, as empresas deverão comunicar quando tiverem de fazer provisão, seguro ou mesmo detalhar em notas explicativas potenciais passivos ambientais. Da mesma forma, precisarão informar seus ativos ambientais, mesmo que intangíveis, como a conservação de áreas que não pertençam à empresa. “Um equipamento novo, por exemplo, polui menos do que o antigo. Hoje, isso não é considerado um ativo ambiental e, sim, um ativo operacional”, esclarece Aracéli. Do seu ponto de vista, todos os impactos que uma empresa causa ao meio ambiente devem ser documentados para que, posteriormente, se possa refletir sobre essa interação. “Eu acho que a compreensão dos contadores em relação às questões ambientais vem aumentando consideravelmente, mas acredito também que essa nova norma trará uma tranquilidade técnica de como fazer o reconhecimento disso corretamente”, aposta a professora. “É um processo de médio a longo prazo que envolve várias frentes.” Nota Fiscal Eletrônica reduz significativamente a emissão de papéis De uma forma geral, as empresas de contabilidade têm procurado adotar procedimentos menos poluentes e de tecnologia limpa para diminuir as agressões ao meio ambiente. A implementação da Nota Fiscal Eletrônica (NF-e), por exemplo, ajudou a evitar, apenas este ano, a emissão de cinco milhões de notas em papel, o que consequentemente reduziu o número de árvores derrubadas para este fim. “Toda iniciativa é positiva”, destaca o contador Marco Antonio Perottoni, da área de planejamento tributário da Gerdau. Segundo ele, algumas organizações contábeis estão desenvolvendo um plano de contas que identifica, via balanço social, as despesas feitas e os valores investidos em ações voltadas ao meio ambiente, divulgando o que tem sido colocado em prática por elas. “A contabilidade está aí para conseguir juntar esses números e mostrar à sociedade”, afirma Perottoni. “É uma forma de se divulgar as iniciativas relacionadas à utilização de materiais mais ou menos poluentes, gastos com a água e, principalmente, a emissão de papéis.” A imagem das empresas também ganha muito com isso, pois ser considerada ambientalmente correta é algo valorizado tanto por investidores internos quanto por externos. “Alguns deles só investem em organizações preocupadas com a preservação ambiental”, observa o contador. “Por isso, quanto mais divulgar e ser transparente nos aspectos relacionados à natureza, melhor para a organização.”

Notícia retirada do site: http://www.viaconta-rnc.com.br/noticias-detalhes.asp?noticia=38

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Torres de alta tensão comprometem a saúde de seus vizinhos


Perigo invisível, silencioso e permanente, as torres de alta-tensão exercem influência nociva particularmente em quem vive ou trabalha num raio de 40m de seus cabos


Para saber mais acesse:

http://www.jornaldaserra.com.br/1Ambiente/Torresdetransmissao/torre1.htm

TJ-SP fez pagamentos ilegais a 118 juízes

Por: FLÁVIO FERREIRA
Fonte: Folha de São Paulo


Após ação do CNJ, tribunal determinou a devolução em 2011 de pagamentos de folgas feitos em 2009 e 2010 Corte não comentou os repasses; pagamento ocorreu por meio da conversão de folgas em dias de licença-prêmio
O Tribunal de Justiça de São Paulo fez pagamentos ilegais a 118 juízes que somaram cerca de R$ 1 milhão nos anos de 2009 e 2010.
As verbas resultaram de uma conversão indevida de dias de folga, que não podem ser pagos em dinheiro, em dias de licença-prêmio, que podem ser indenizadas.
Após a abertura de um processo sobre o caso no CNJ (Conselho Nacional de Justiça), o próprio TJ anulou os pagamentos e determinou a devolução dos valores a partir de fevereiro deste ano.

Para ler a matéria na íntegra acesse: http://www.nopoder.com.br/materias/4591/2/TJ-SP-fez-pagamentos-ilegais-a-118-juizes.html

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

A tentação de sentir-se poderoso

Por circularem na companhia de figuras públicas, freqüentarem ambientes onde são tomadas decisões e publicarem o que viram ou ouviram falar de importante, jornalistas imaginam que têm poder ou que fazem parte do poder.

Têm poder até o momento em que são despedidos. Fazem parte do poder se concordam em servir aos que de fato o detêm.

Os donos de jornal e dos demais meios de comunicação, estes sim, são poderosos. Porque não podem ser despedidos – no máximo, quebram. E porque a mídia é cada vez mais poderosa no mundo. Sem ela não se governa. Sem ela não se ganham guerras. Sem ela não se fazem negócios.

Continue lendo no blog: http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2011/12/28/a-tentacao-de-sentir-se-poderoso-423380.asp